fbpx

Principais frameworks e bibliotecas de JavaScript

Conheça um pouco mais sobre os principais frameworks e bibliotecas de JavaScript utilizados atualmente no desenvolvimento web.

Os frameworks são ferramentas que facilitam – e muito – o trabalho de pessoas desenvolvedoras, que atuam tanto no front como no back-end. No entanto, quando falamos sobre frameworks e bibliotecas de JavaScript, estamos abordando, sobretudo, a área de front-end. 

A partir do momento que programadores encontram dificuldades na programação, tais profissionais tentam desenvolver maneiras de driblar estes desafios e, assim, acabam surgindo os frameworks, que vão recebendo atualizações de acordo com a evolução constante da tecnologia. 

Diversas empresas como Google, Facebook e Microsoft, por exemplo, são responsáveis pela criação e lançamento de diversos frameworks utilizados por profissionais de todo o mundo.

Neste artigo, falaremos um pouco mais sobre os frameworks de JavaScript mais utilizados, abordando algumas curiosidades interessantes sobre estas ferramentas. Confira abaixo!

React

Criado por Jordan Walke e inicialmente conhecido como FaxJSV, o React é uma das bibliotecas de JavaScript mais conhecidas e utilizadas na construção de interfaces de usuário (UI). 

Walke trabalhava no Facebook quando desenvolveu esta tecnologia e, por isso, ela foi utilizada a princípio apenas pela comunidade interna da rede social de Mark Zuckerberg para solucionar alguns problemas internos. 

No entanto, em 2013, o React foi lançado como uma ferramenta open source (código aberto) e então, oito anos depois, é considerado um dos frameworks front-end mais utilizados no mundo da tecnologia. Inclusive no software de corporações multinacionais como Netflix, Airbnb e, é claro, o Instagram e o WhatsApp. Este framework compete diretamente com outras bibliotecas JavaScript também muito utilizadas, como Angular e Bootstrap. 

Se você já domina as linguagens básicas como HTML, CSS e JavaScript, terá facilidade para aprender a trabalhar com o React. Já que por ser uma biblioteca de JavaScript, utiliza esta linguagem para escrever o código, é estruturado por uma sintaxe semelhante ao HTML e estilizado de acordo com os princípios do CSS. 

É pela sua facilidade e interface mais reativa que muitas empresas adotam esta tecnologia, principalmente porque foi desenvolvida, testada e mantida pelo Facebook. 

Angular

Outro framework de JavaScript open source, o Angular é direcionado ao trabalho com Single Page Applications (SPA), também é uma dos frameworks mais conhecidos na programação. O Gmail e o Google Drive são exemplos de aplicações que utilizam o Angular, e você já saberá o porquê.

Criado em 2008, pela equipe do Google, o Angular buscava facilitar e simplificar o desenvolvimento de sistemas web, além de auxiliar web designers. No entanto, quase uma década depois, os recursos deste framework já não eram mais compatíveis, em questão de performance, com todas as evoluções tecnológicas. 

E é por isso que a seguinte dúvida permeia o setor de programação: Existe mais de um Angular?

A resposta é sim. Para atualizar o framework, o próprio Google reestruturou praticamente todo o Angular, baseado no princípio inicial, desenvolvido quase dez anos antes e lançou uma segunda versão do Angular em 2016. O antigo, denominado Angular.js e a segunda versão chamada Angular, que continua recebendo diversas atualizações, obviamente. 

E é neste momento que eu aproveito para deixar uma dica: quando estiver interessado em vagas de Angular, preste atenção se a oportunidade trata-se de Angular ou Angular.js!

O Angular é mantido por uma parceria entre o Google e a Microsoft, pois a biblioteca passou a utilizar o TypeScript (que pertence à Microsoft) como linguagem. Nesse caso, o código é escrito em TypeScript com extensão .tsc e então é compilado para JavaScript. Isso tudo tornou o framework muito mais robusto, seguro e legível. 

O fato de o Angular ser altamente escalável foi o que tornou possível desenvolver sistemas complexos através dele, que busca evitar ao máximo a utilização de componentes, o que agiliza o desenvolvimento. 

E justamente por ter um desenvolvimento rápido, modular e confiável ele é muito interessante para aplicações corporativas.

Vue.js

O último framework JavaScript e também open source que trouxe para este artigo é o Vue.js, que pode ser considerado um concorrente à altura para o React e o Angular, dos quais falei anteriormente.

O Vue. js foi criado em 2013 por Evan You, um desenvolvedor do Google Creative Labs. Tinha como princípio extrair as melhores características do Angular e aproveitá-las em uma outra ferramenta otimizada.

Depois de um ano, o Vue.js foi lançado e atingiu o seu auge em 2015, quando foi incorporado no Laravel, um framework PHP. Tal incorporação resultou na fama do framework, que ganhou inúmeros adeptos e fez com que Evan saísse do Google e lançasse a primeira versão estável (1.0) do Vue.js.

Este é, por vezes, considerado um framework progressivo e reativo, e tem como objetivo a sua adaptabilidade a outras ferramentas e bibliotecas. 

Hoje em dia ele está também entre um dos frameworks de JavaScript mais utilizados, sendo muito popular entre os desenvolvedores do mundo todo. 

E aí, curtiu as curiosidades sobre estas frameworks e bibliotecas de JavaScript? Já trabalhou ou trabalha com alguma delas? Se você tem experiência em alguma delas, não deixe de conferir a nossa página de talentos clicando aqui.