fbpx

Burnout em desenvolvedores: o que fazer para evitar

Nos últimos tempos, até mesmo antes da pandemia de Covid-19, uma boa parte das pessoas inseridas no mercado de trabalho têm vivido em rotinas mais agitadas, com listas inacabáveis de tarefas, consumindo uma grande quantidade de informações e executando diversas outras atividades no trabalho que muitas vezes não é possível dar conta de tudo.

O resultado disso você já deve imaginar, ou até mesmo já passou por isso: um estresse excessivo somado à exaustão. Essa Síndrome de Esgotamento Profissional é também conhecida como Burnout e tem se tornado mais comum do que se imagina.

Apesar de já existir muito antes de 2020, a pandemia, somada ao isolamento social e à uma nova rotina de trabalho, intensificou os casos de Burnout no trabalho ao redor de todo o mundo, principalmente pela incapacidade das pessoas de se desligarem do trabalho devido ao trabalho remoto (home office). 

E esse cenário não é diferente para pessoas desenvolvedoras. Com o aquecimento do mercado, a alta procura por profissionais de tecnologia aumenta e, consequentemente, por não haver mão de obra o suficiente, aqueles que já estão ativos no mercado sofrem com cargas excessivas de trabalho, que muitas vezes até fogem do seu escopo.

Aos apaixonados pelo trabalho: cuidado!

A escassez de profissionais no mercado de TI, principalmente na área de programação, tem prejudicado inúmeros profissionais com excesso de trabalho. O que é problemático, pois essa alta e constante demanda de tarefas muito provavelmente ocasionará, no futuro, uma sobrecarga até mesmo naqueles que amam o que fazem. 

Isso porque, a partir do momento em que estamos imersos às nossas atividades profissionais, esquecemos que há vida além do trabalho e deixamos de lado outras atividades básicas para a manutenção da nossa saúde e bem-estar, como se alimentar regularmente, ter boas noites de sono, praticar exercícios físicos e até mesmo jogar conversa fora com os amigos.

É possível até arriscar dizer que os apaixonados pelo trabalho podem ter mais chances de sofrer com um Burnout ao longo do tempo, já que para estes profissionais a busca pela perfeição tem se tornado constante.

De acordo com especialistas, um dos primeiros indícios de uma futura Síndrome de Esgotamento Profissional é a total vinculação da autoestima e bem estar de uma pessoa com a sua realização profissional, ao seu sucesso no trabalho, que, gradativamente, se torna uma compulsão capaz de deteriorar outras áreas da vida, como a saúde física.

De acordo com pesquisas da Haystack feitas neste ano, 83% das pessoas que trabalham na área de Tecnologia da Informação já sofreram com uma crise de Burnout e 81% destes relataram que a pandemia intensificou a ocorrência dessas crises. 

No entanto, como já dito anteriormente, isso não aconteceu apenas nos últimos dois anos. Outra pesquisa, agora da Stackoverflow, no ano de 2019, 77% dos desenvolvedores entrevistados afirmaram trabalhar mais do que 40 horas semanais, o que potencializa os futuros riscos de que estes se sintam esgotados em determinado momento da carreira.

Portanto, não basta medir o seu sucesso profissional somente pela sua paixão pelo trabalho. É necessário saber equilibrar todas as áreas da vida para que isso não acarrete riscos tanto à sua saúde física como também à mental.

O que fazer para evitar o Burnout no trabalho?

Sabemos que não basta apenas você se preocupar com sua saúde e bem estar se o seu ambiente de trabalho, principalmente a empresa em que trabalha, não dá a devida importância para este assunto e não fornece meios para driblar essas situações de exaustão dos colaboradores.

Seja criando prazos apertados, não alinhando as prioridades, solicitando demandas sem dar o devido suporte ou até mesmo não reconhecendo bons desempenhos e buscando sempre apontar “culpados” quando alguma falha acontece. 

Pensando nisso, pedimos a ajuda do Guilherme Soriani, Analista de Customer Success aqui na EZ.devs, para dar algumas dicas de como você pode evitar desenvolver a Síndrome do Esgotamento Profissional.

Além disso, ele explica um pouco mais sobre o que fazemos para garantir o bem estar dos nossos desenvolvedores enquanto fazem parte do nosso ecossistema. 

A primeira dica trazida pelo Guilherme é relacionada à manutenção do bem-estar físico e mental, no trabalho remoto. Ele aponta que é de grande importância ter uma rotina bem definida, separando um horário apenas para o  trabalho e outros horários para vida pessoal. 

Além disso, para manter o corpo saudável,  não se pode esquecer de manter a hidratação, comer bem e fazer pausas ao longo do dia para respirar e se alongar. E não se esqueça: quando parar de trabalhar, desligue-se totalmente das suas práticas profissionais e aproveite o seu tempo para descansar ou fazer algo que goste.

A segunda dica, mas não menos importante é: se tiver a oportunidade, faça terapia! Guilherme aponta que a prática da psicoterapia é um momento destinado a você, onde há um local seguro e sigiloso para que você compartilhe tudo que está passando sem se preocupar com julgamentos. 

Nas sessões de terapia, o profissional vai te ouvir e te auxiliar a entender o que está sentindo, analisando a situação como um todo e oferecendo novos pontos de vista. E isso é importante pois, muitas vezes amigos e familiares não conseguem entender o que passamos por pensarem no que eles acham melhor para nós. Mas, nem sempre essas opiniões e “conselhos” condizem com o que passamos e é nesse momento que entra a/o terapeuta!

Customer Success para devs, o que é isso?

Antes de adentrarmos às práticas da EZ para evitar que os membros sofram com o burnout no trabalho ou qualquer esgotamento profissional, vale explicar como funciona a área de Customer Success, que aqui chamamos de CS. 

De modo geral, as estratégias de customer success em outras empresas têm o objetivo de garantir o sucesso do cliente. Mas no nosso ecossistema, o processo de CS vai mais além e funciona como uma via de mão dupla,  cuidando também da satisfação dos nossos talentos. 

Com uma cultura que preza pelo talento no centro das relações de trabalho, Guilherme explica que o foco de CS é garantir que todos os devs estejam se sentindo confortáveis na empresa em que estão alocados, se estão se desenvolvendo profissionalmente e também atingindo sucesso nos seus objetivos. 

E para consolidar esta análise, são realizadas práticas de one on one, que nada mais são do que um bate-papo com cada um dos talentos (em particular) a cada 21 dias, feito pelos Analistas de Customer Success. Assim, eles podem traçar os melhores caminhos para garantir a satisfação de todos os profissionais da EZ.

“As one on ones são momentos disponibilizados para o dev falar como está se sentindo em relação a sua vida pessoal, jornada de trabalho, empresa e projeto. Caso haja algum ponto de atenção ou que precise ser melhorado, o time de CS fica responsável por buscar informações e estratégias para apresentar uma solução ao talento. Além disso, ficamos sempre disponíveis para conversas e debates ao longo da jornada de trabalho”, diz Guilherme.

Atualmente, a EZ.devs tem estruturado ainda mais o setor, criando mais oportunidades que garantem o desenvolvimento dos colaboradores, como por exemplo, praticando debates sobre assuntos de tecnologia ou outros assuntos importantes para a evolução da equipe, o que chamamos de Hora Tech, bem como a disponibilização de cursos, workshops, entre outras coisas a todos os profissionais. 

O objetivo de todas estas práticas é fazer com que esta jornada dos talentos seja leve e de muito aprendizado para todos que fizerem parte dela, por isso a busca por melhorias é constante. 

Essas foram as dicas da EZ sobre como é possível evitar o tão temido Burnout no trabalho, principalmente no trabalho remoto e em períodos de isolamento social, como estamos vivendo. 

Se você se interessou pelo nosso ecossistema, não deixe de acessar e se cadastrar na nossa página de talentos para ser também um Ezer!