fbpx

Como usar o algoritmo do Linkedin para ser encontrado na rede?

O que seria do mundo dos negócios sem o LinkedIn, atualmente, não? Uma rede social capaz de unir empresas e profissionais do mundo todo. Quantas oportunidades de emprego não foram encontradas pelo LinkedIn… Tudo com a ajuda dele: o algoritmo.

O fato é que sem os algoritmos, as redes sociais e os serviços que consumimos através da internet, como os streamings de conteúdo audiovisual, dificilmente seriam tão revolucionários como são. Mas, assim como os filmes e séries que você gosta aparecem na sua televisão como um passe de mágica, a vaga perfeita pode chegar até você facilmente.

Quando sabemos utilizar o LinkedIn, ele pode ser uma ferramenta e tanto na hora de construirmos nosso perfil profissional, estabelecer networking, mostrar as nossas habilidades e conhecimentos, além de trocar diversas experiências com pessoas de todo o mundo.

Para isso, basta que você seja visto. E isso só é possível quando remamos à favor do algoritmo do Linkedin e conhecemos o território no qual estamos adentrando. Este é o objetivo deste artigo: conhecer como esse algoritmo funciona e como podemos nos favorecer dele para conquistar as melhores oportunidades.

Como o algoritmo do Linkedin trabalha?

Assim como em outras redes sociais, como o Instagram, o algoritmo do LinkedIn dá mais prioridade aos conteúdos que julga mais interessantes aos usuários da plataforma. Além disso, o fator tempo também é muito levado em consideração ao rankear as postagens. Ou seja, publicações mais recentes têm mais chance de aparecerem para os usuários se comparadas àquelas muito antigas.

O algoritmo funciona como uma espécie de um filtro, que analisa e seleciona todos os conteúdos publicados na rede. A primeira análise pode parecer óbvia, mas é importante ser levada em consideração. Ela consiste em certificar de que determinado conteúdo não é um spam, e considera como tal todas as postagens que possuem links suspeitos, solicitação e divulgação de dados pessoais e até mesmo de dinheiro. 

Você já deve imaginar que este não é um processo feito por humanos e sim por robôs, também conhecidos como bots. No entanto, existe sim, uma curadoria feita por seres humanos, que analisam as postagens que devem ou não aparecer para os usuários do LinkedIn. 

É claro que esta segunda revisão não acontece com todas as publicações, acredito que isso seria – humanamente – impossível. No entanto, conteúdos que receberam um grande número de interações, como comentários, curtidas e compartilhamentos, merecem sim, uma atenção redobrada, que verifica se tal postagem deve continuar aparecendo nos feeds.

Resumidamente, é dessa maneira que as publicações são avaliadas, mas também existem alguns requisitos no seu perfil a serem preenchidos para que você e o seu conteúdo consigam alcançar mais pessoas. Dentre estes requisitos estão: o nível do seu perfil, sua atividade na rede, suas conexões e sua área de atuação, bem como a sua localização.

Com todas estas informações em mente, é hora de pensar em como você pode usá-las a seu favor. Confira abaixo!

O que você pode fazer?

Quem está a procura de novas oportunidades no mercado de tecnologia, o LinkedIn pode ser uma ferramenta e tanto. Contudo, é preciso saber muito bem como os algoritmos funcionam para que seja possível se destacar entre os demais profissionais de uma mesma área. 

Por isso, é necessário seguir algumas regras básicas de como devemos nos comportar dentro da plataforma. A partir do momento que as colocamos em prática, nossos perfis se posicionam entre os primeiros resultados. 

Complete seu perfil

O primeiro passo para remar a favor dos algoritmos é completar o seu perfil com todas as informações relevantes para a rede social. Isso até pode parecer óbvio, mas muitos usuários não o executam.

A primeira impressão é sempre a que fica. Portanto, invista em uma boa foto de perfil, com caráter profissional. Você não precisa estar com roupas sociais, mas ela precisa demonstrar como você é no trabalho. 

Além da foto, é necessário que você invista em um bom resumo sobre quem você é, personalize sua URL e, acima de tudo, mantenha suas informações sempre atualizadas. Ou seja, se você está empregado, relate o cargo em que ocupa e a empresa que trabalha, se não está, deixe à mostra que você encontra-se aberto a novas oportunidades.

Acerte nas palavras-chave

Mais do que contar sobre suas experiências profissionais, você precisa investir em palavras-chave, senão, você não será encontrado nem quando pesquisarem por assuntos dos quais você se relaciona e todas essas informações não vão adiantar nada. 

O LinkedIn é também uma rede que conecta as pessoas, o que permite que recrutadores de diversas empresas entrem em contato com o seu perfil ao realizarem as buscas. Quando você otimiza o seu perfil com palavras-chave, há mais chances do seu perfil aparecer como resultado das buscas.

Por exemplo, se você é um desenvolvedor web-full stack que trabalha com React, é necessário que estas palavras apareçam na descrição do seu perfil. Se não está empregado no momento, não coloque que você “busca por recolocação profissional”, ou “novas oportunidades”, mas sim evidencie suas habilidades e cargos dos quais deseja ocupar no futuro. Isto é, partindo do mesmo exemplo anterior, podemos trabalhar da seguinte forma: Desenvolvedor Full-stack | Especialista em React | … , entre outros itens que julgar relevantes.

Crie bons conteúdos

Conteúdos relevantes são mais atrativos para os usuários e têm mais chances de um maior alcance. Por isso, quando for divulgar um curso que você fez recentemente, por exemplo, contar sua experiência, quem ministrou as aulas e o que você aprendeu após os estudos, pode ser bem interessante.

Você também pode dar dicas relacionadas aos assuntos que você domina, contar sobre os projetos em que trabalhou ou trabalha, entre outras possibilidades. O importante neste caso, é pensar sempre na linguagem que você utiliza, e na escrita dos conteúdos, que precisa ter qualidade, obedecer às regras gramaticais e ortográficas e prender a atenção dos usuários. Mas, acima de tudo, estas publicações precisam demonstrar a sua personalidade.

Seja ativo na rede

Quanto mais você é ativo no LinkedIn, mais você ganha relevância no seu nicho. E a atividade não se resume às postagens e conteúdos produzidos por você. Como também sobre o quanto você interage com os seus outros colegas de profissão e demais pessoas da sua rede. 

Interaja nos comentários quando achar pertinente, responda às mensagens privadas o mais rápido possível, compartilhe conteúdos e insights dos quais você considera interessante para outras pessoas do seu segmento, entre outras atividades.

A princípio, estes são os primeiros passos para que você consiga utilizar o algoritmo do LinkedIn ao seu favor e, assim, construir uma boa marca pessoal para ser conectado às melhores oportunidades. 

Se você está em busca de projetos inovadores, com desafios técnicos alinhados com seu perfil profissional  e que, com certeza, transformarão a sua carreira, não deixe de conferir a nossa página de talentos e conhecer mais sobre o nosso ecossistema!