fbpx

Employer Branding: Como a sua cultura pode atrair devs

Você já parou para pensar que sua empresa pode estar afastando os talentos ao invés de atraí-los? Em um período onde a busca por qualidade de vida é mais importante do que uma remuneração alta, investir no Employer Branding pode ser a melhor (ou única) opção para o seu negócio.

Mas, o que significa Employer Branding? 

Para explicar este termo cada vez mais utilizado no setor de Recursos Humanos, é necessário trazer à tona o conceito que o originou: o Employer Brand, que em uma tradução livre significa “marca empregadora”. De modo bem resumido, o conceito surge como a união do marketing com o RH, assim como o Inbound Recruiting, já abordado aqui no blog da EZ.

Quando falamos de marca empregadora, estamos falando que sua empresa precisa ser um lugar capaz de atrair os talentos e fazer com que eles pensem no seu negócio como a oportunidade dos sonhos. Mas, não basta atraí-los, como também é preciso fazer com que eles queiram ficar. Afinal, nenhuma organização pensa em contratar diversos profissionais para depois despedi-los, não é mesmo?!

As estratégias para construir uma boa marca empregadora, são denominadas Employer Branding. Ou seja, Brand é o conceito e Branding é a sua aplicação. Assim fica fácil de entender!

O Employer Branding basicamente se resume à construção da relação entre as empresas e seus colaboradores, que começa muito antes do processo seletivo e se estende até o momento em que ele deixará (ou não) de fazer parte da instituição. 

A Importância do Employer Branding

Com isso em mente, te convido a refletir sobre como está a reputação da sua empresa como ambiente empregador. É necessário pensar em estratégias que mantenham a imagem positiva do seu negócio, pois uma alta remuneração já não é o bastante para garantir que os talentos continuem trabalhando para você. 

Profissionais que reconhecem seus talentos e seu potencial, não querem desperdiçar nem tempo e nem saúde mental trabalhando em ambientes que não os valorizam. Por isso, é preciso pensar em estratégias para sair desse “lugar comum” no qual muitas empresas se encontram. 

A visão de um profissional em relação à uma empresa começa desde o momento em que ele se interessa por uma vaga. Arrisco dizer que ela pode começar até mesmo antes disso, através do contato com outras pessoas próximas que trabalham para determinado local, por exemplo. 

Por isso, quando se fala em Employer Branding, não basta pregar uma cultura forte. Ela precisa se consolidar entre os profissionais que já estão empregados e aqueles que ainda nem pensaram na possibilidade de fazer parte do seu negócio, mas que um dia irão pensar. E terão uma experiência incrível. 

Quando abrangemos o setor de tecnologia, a construção da sua marca empregadora é ainda mais importante, já que na incansável corrida das empresas em busca de talentos, é necessário se destacar da concorrência. Nesse caso, contar com a ajuda dos próprios colaboradores para divulgar a empresa que trabalham é uma excelente estratégia, afinal, o time que você tem mostra a empresa que você é.

O pontapé inicial

Garantir o sucesso na consolidação da sua empresa como uma excelente marca empregadora exige dos gestores uma visão bem ampla sobre o conceito, já que existem inúmeras possibilidades a serem exploradas.

Apesar de o setor de recursos humanos funcionar como peça chave para a aplicação das estratégias definidas pela empresa, para que todo esse projeto se consolide, é necessário que estas práticas atinjam todos os colaboradores, do operacional à liderança. Só assim é possível ter a certeza de que seu negócio é baseado em uma cultura forte e muito alinhada aos valores de cada talento que integra a organização.

Para Letícia Godoi, Head de RH aqui na EZ.devs, empresas que almejam o sucesso devem humanizar mais suas relações de trabalho. Assim, geram bons resultados e, consequentemente, consolidam seu Employer Brand. 

Ela ainda afirma que é imprescindível que as startups tenham uma cultura que preza por ações capazes de estimular a sensação de pertencimento nos talentos, para que todos sintam que são uma parte importante dentro da empresa e não apenas “números”.

Como você conferiu ao longo do artigo, traçar boas estratégias de Employer Branding não é algo simples, mas que deve ser construído e consolidado ao longo do tempo, através de ações diárias.

Time de tecnologia: Tenha uma visão mais ampla para escalar seu produto

Para vencer os desafios de escalar o produto da sua startup, ter um time de tecnologia multidisciplinar e ágil é com certeza a melhor escolha.

Startups são uma ideia revolucionária no mundo dos negócios, que vêm crescendo constantemente e ganhando cada vez mais espaço. No Brasil este cenário não é muito diferente já que, de acordo com um levantamento da Abstartups (Associação Brasileira de Startups), atualmente existem em torno de 12.700 startups no país. 

Para termos noção de tamanho crescimento, este número coletado pela Abstartups é 20 vezes maior do que em relação ao ano de 2011, data em que a organização citada foi fundada. No entanto, mesmo que o crescimento seja expressivo, ele não acontece da mesma forma de empresas tradicionais, já que para escalar um produto nesses casos é necessário seguir um ritmo exponencial e não linear.

Apesar de o Brasil ser um berço de diversas startups promissoras, as empresas daqui ainda enfrentam inúmeras dificuldades para se tornarem reconhecidas. Na hora de escalar seus produtos, os processos não funcionam de forma simples, e alguns problemas podem surgir no meio do caminho.

Pensando nisso, este artigo surge com o propósito de antecipar e te mostrar os principais pontos a serem considerados na hora de escalar o seu produto, que podem ser solucionados através de um time de tecnologia eficiente.

Principais desafios e soluções

Aqueles que estão inseridos no dia a dia de uma startup sabem que este tipo de negócio exige a capacidade de se manter em constante transformação para conseguir realmente escalar um produto. E nem sempre esta escalada será capaz de garantir o crescimento do seu negócio conforme o esperado.

Esta é uma dificuldade comum entre gestores e, possivelmente, acontece quando surgem diversos erros de percurso, que são muito recorrentes em startups que buscam o alto crescimento. O problema não está em errar, mas em como iremos contornar situações indesejáveis e, acima de tudo, saber porque este erro não foi diagnosticado precocemente.

Outro obstáculo encontrado por diversas startups é a concorrência, já que, com as inovações tecnológicas e a disputa por um mesmo setor do mercado cada vez mais frequentes, é muito comum que os gestores encontrem empecilhos na hora de apresentar, com agilidade, um negócio inovador ao mercado.

E quando o assunto é sobre agilidade na hora de alavancar seu produto, não há como deixar de lado a tecnologia aplicada à metodologias ágeis. Esta é uma estratégia imprescindível para que você consiga, de fato, alcançar os resultados que realmente almeja. 

Agilidade no seu time de tecnologia

Antes de escalar o seu negócio no mercado, primeiro é necessário escalar seu time de tecnologia para trabalhar nos processos de desenvolvimento. E, engana-se quem pensa que “o time perfeito não existe”, ele existe, sim, e é mais conhecido como Time ágil

Pessoas que já estão ambientalizadas com os cenários de alto crescimento de startups, incluindo as brasileiras, provavelmente já conhecem ou ao menos ouviram falar sobre times e metodologias ágeis. Mas, se este assunto ainda é novo para você, neste artigo aqui te explicamos todos os conceitos essenciais para compreender por que sua empresa precisa adotar uma cultura ágil.

Sabendo o que cultura ágil significa, fica mais fácil entender como ela pode ajudar a sua empresa a alcançar as próprias metas. 

Para ficar mais fácil de compreender, a partir de agora vou pegar como exemplo a metodologia de squads. Ter uma squad significa ter um time multidisciplinar dentro da sua empresa, ou seja, é como se existisse uma empresa secundária dentro da empresa principal.

Se ainda não ficou simples de entender, este é o momento: uma empresa é composta por diversos setores, dos Recursos Humanos à Engenharia de Software, certo? Então, quando eu falo sobre montar uma squad para trabalhar no seu projeto, quero dizer que esta é uma estratégia que vai além de contratar profissionais especializados em uma única área. 

Em uma squad para o seu projeto pode conter, por exemplo, um desenvolvedor especializado em uma linguagem de programação específica, um UX e UI Designer, uma pessoa Analista de Dados e até mesmo alguém especializado em outras áreas do conhecimento, como o financeiro.

Mas para que isso serve? A resposta é simples: times multidisciplinares te permitem encurtar processos, acelerando a produção sem abrir mão da qualidade do seu produto. Quando vários setores trabalham para o mesmo objetivo, fica mais fácil solucionar os problemas, corrigir falhas e metrificar os resultados, por exemplo. 

E quando se reduz o tempo desperdiçado com problemas que podem ser resolvidos rapidamente, podemos pensar também na possibilidade de prevenir erros que podem prejudicar o andamento do seu projeto. Com uma squad bem estruturada, isso passa a ser possível, já que existem diferentes trocas de experiências entre os colaboradores.

A experiência de um marketplace

Ainda que existam muitos desafios, é possível tornar esta experiência positiva através de uma parceria que compreenda realmente as necessidades da sua startup. Afinal, não adianta tentar formar um time ágil sem pensar em todas as variáveis que o envolve.

A cultura ágil está intimamente ligada à uma boa liderança, que inspire os seus membros e confie no trabalho que desempenham, além da sinergia entre os membros, boa comunicação e colaboração. Encontrar todas estas qualidades nos melhores talentos de tecnologia não é uma tarefa fácil e por isso, contar com um ecossistema que facilite todo este processo, vai te ajudar muito na escalada do seu produto.

E para isso, sua startup pode, com certeza, contar com o marketplace da EZ.devs. Juntos alcançaremos lugares incríveis.
Para fazer parte do nosso ecossistema, solicite um primeiro contato por aqui!

Tenha um time de tecnologia de alta performance

Para garantir o bom desenvolvimento de um time de alta performance no desenvolvimento de um projeto de tecnologia, é necessário ter uma liderança forte, já que um bom líder é o principal motor de motivação para que a equipe consiga atingir bons resultados.

A alta performance ocorre quando uma empresa reúne em seus times diversos propósitos importantes para garantir a produtividade e o engajamento dos talentos, como a busca constante por evolução, a valorização da cultura ágil e, principalmente, uma boa liderança.

Pensando nisso, aqui neste artigo estão algumas dicas que te ajudarão a manter o desempenho dos talentos. Continue a leitura!

Foco na agilidade

Um time de alta performance deve sempre focar na agilidade, tanto na produção como na resolução de problemas que podem ocorrer ao longo dos processos, para obter bons resultados no desenvolvimento de projetos.

Por isso, é fundamental que os líderes de um time de tecnologia de alta performance conheçam sobre metodologias ágeis para executar demandas, além de investir na capacitação dos demais talentos do time para que estes saibam exatamente como a equipe deve trabalhar para conseguir manter seu rendimento elevado.

O método ágil reduz de maneira muito expressiva o tempo de produção ao mesmo tempo que mantém e, muitas vezes até melhora, a produtividade dos membros. Isso porque nesta estratégia, os gestores se preocupam em formar um time multidisciplinar, abrangendo diversas áreas do conhecimento em um único grupo, algo que o torna capaz de resolver rapidamente situações que, em um sistema convencional, demandam muito mais tempo.

Confiança nos membros

Um dos tópicos mais importantes para uma boa liderança de um time de tecnologia de alta performance é, com certeza, depositar confiança nos demais membros do time. Como a própria palavra explica, estar em um time significa que você não trabalhará sozinho. 

Mais do que isso, todas as partes precisam estar em harmonia para que se chegue onde deseja. Uma equipe de alta performance, justamente por incluir metodologias ágeis e conhecimentos multidisciplinares, lida a todo momento com pessoas muito distintas umas das outras (afinal, todos somos diferentes, não é mesmo?). 

Além disso, a liderança deve sempre ser o mais horizontal possível e se mostrar aberta à construções em conjunto, pois se a comunicação for extremamente hierarquizada, perde-se o princípio da agilidade e, consequentemente, a boa performance do time. 

Outro ponto a ser levado em conta quando se fala em conquistar a confiança da equipe é abolir de vez o microgerenciamento das execuções e entregas do time. A tentativa de controlar a todo o momento o que os talentos estão fazendo coloca sobre eles uma pressão desnecessária que torna o ambiente de trabalho desconfortável e, por vezes, até hostil e que também prejudica o desempenho dos membros. 

Por isso, deixe claro aos colaboradores que no time há liberdade para que eles executem seu trabalho da maneira como julgarem melhor, contanto que se chegue aos resultados esperados. 

Analisar resultados

A principal forma de mensurar o desempenho de um time é analisando os resultados obtidos. Só assim é possível garantir que o time em questão detém realmente uma performance melhor do que os demais.

Mas, essa nem sempre é uma tarefa fácil e vai exigir um bom jogo de cintura dos gestores para que planejem muito bem como vão seguir com a mensuração da produtividade e dos resultados da equipe. 

Para te nortear neste quesito, aqui vão alguns pontos que podem ser levados em conta na hora de analisar a qualidade das entregas e da performance desses times, são eles: cumprimento de prazos, agilidade na entrega e como foram solucionados os problemas que apareceram ao longo do percurso e, principalmente, como tais entregas impactam na escalada do produto que está sendo desenvolvido. 

Utilizar as ferramentas corretas

Outra forma que auxilia a manutenção da alta performance do time é verificar constantemente se as ferramentas utilizadas no dia a dia da equipe estão sendo eficientes e realmente contribuindo para a execução dos processos internos. 

Estes recursos, sejam quais forem, são capazes de auxiliar muito na agilidade do dia a dia do time, mas eles precisam condizer com as necessidades da equipe, o que não é difícil acontecer. 

O líder de um time de alta performance deve verificar, por exemplo, se determinada ferramenta de gerenciamento de atividades demanda muito tempo dos colaboradores para ser atualizada no diariamente. Tempo este que poderia ser dedicado a outros processos muito mais importantes para o desenvolvimento do projeto. Conforme a resposta da equipe, será essencial buscar outras maneiras de executar determinada atividade e até mesmo analisar se ela é realmente uma tarefa necessária para atingir o resultado final esperado. 

É válido ressaltar que este é um processo que deve ser realizado constantemente, principalmente quando se trata do desenvolvimento de projetos longos. Isso porque pode acontecer de uma ferramenta, que antes era muito útil,  já não faça mais sentido para o projeto. Então, nunca deixe de pensar a respeito deste assunto!

Saber delegar tarefas

Por último, mas não menos importante, um bom gestor é aquele que também sabe delegar tarefas. Muito atrelado à conquista da confiança dos talentos, dita anteriormente, este tópico pode ser a virada de chave para que seu time consiga manter uma excelente performance.

Na hora de designar funções é preciso levar em conta habilidades que vão além da técnica, pensando também no perfil comportamental de cada integrante da equipe e como ele pode impactar nos resultados. Um exemplo disso é no gerenciamento de uma crise, onde será necessário contar com alguém que tenha habilidade e controle emocional para pensar na melhor estratégia. 

Evite também a sobrecarga de processos na mão de uma única pessoa e também do próprio líder. É muito comum que este segundo caso aconteça, já que muitos gestores têm dificuldade de delegar funções por pensar que, se ele próprio fizer, os resultados serão melhores. Isso nem sempre é verdade e, se vem acontecendo na sua empresa, é mais um motivo para repensar sobre a confiança que precisa ser depositada nos talentos. 
Após estas dicas, ficará muito mais fácil manter o alto desempenho dos seu time de tecnologia e, é claro, a EZ.devs pode te ajudar a conquistar os melhores resultados através de talentos com experiência em times ágeis. Para conhecer mais sobre o nosso ecossistema, entre em contato conosco!

As novas relações entre desenvolvedores e as empresas

A busca incessante por pessoas que trabalham no setor de tecnologia fez com que estes profissionais ditassem, a partir de agora, o ritmo do mercado

A automatização de inúmeros processos, bem como o trabalho remoto e a necessidade de que as empresas se insiram no campo digital acelerou muito mais rápido do que o número de talentos de TI, e isso gerou uma escassez de mão-de-obra extremamente prejudicial para empresas que buscam crescimento. 

Dentre os profissionais mais requisitados, encontram-se os desenvolvedores de software, sendo eles um dos principais grupos responsável por estabelecer novas relações de trabalho, das quais empresas precisam estar muito atentas caso não queiram enfrentar inúmeros problemas relacionados à baixa quantidade de colaboradores.

Falamos diversas vezes que o mercado está diferente, mas o que exatamente mudou? O que é necessário saber para conseguir atrair os desenvolvedores até os seus negócios? Neste artigo vou responder a estes dois questionamentos, elencando os principais tópicos que merecem a atenção de todos os gestores que buscam fortalecer o setor de tecnologia das suas startups.

Quais as principais mudanças?

Pode parecer óbvio mas, para falar sobre mudanças, é preciso começar exatamente pelo começo. A tecnologia está em constante evolução desde o seu surgimento, e não seria na era técnico-científica informacional que isso iria deixar de acontecer. 

A questão não é sobre as evoluções em si e sim sobre a velocidade com que elas vêm ocorrendo, que é muito mais rápida do que o esperado. As novas ferramentas e aparatos tecnológicos no geral, estão cada vez mais presentes em nossa vida, o que altera o dia a dia das empresas e, obviamente, dos trabalhadores.

A pandemia foi um dos fatores que aceleraram ainda mais estas mudanças de cenário, provocando modificações que aconteceriam, provavelmente, em um futuro próximo e acompanhariam o ritmo de formação e aquisição de experiências de novos profissionais. 

Por isso, flexibilidade, alta remuneração, trabalho remoto e até mesmo a autogestão são alguns dos itens pelos quais os profissionais estão buscando antes de se candidatar para uma vaga.

Trabalho remoto e flexibilidade

A busca por um maior equilíbrio entre a vida pessoal e profissional é algo muito prezado pela grande maioria dos profissionais desenvolvedores, e por este motivo, somado ao cenário de pandemia pelo qual vivemos, a possibilidade de ter um horário flexível e de trabalhar remotamente são itens que podem despertar a atenção de talentos para o seu negócio. 

O trabalho longe das dependências da empresa já era uma realidade que estava em crescente, principalmente fora do Brasil. No entanto, o isolamento social despertou a ideia de que manter este regime pode ser muito interessante, tanto para as organizações como para os profissionais. 

Aqui vale ressaltar que trabalho remoto não é o mesmo do que trabalho em casa (o conhecido home office). Trabalhar remotamente significa que você não precisa estar produzindo no escritório da sua casa, mas sim de qualquer lugar, seja em um café, parque ou até mesmo na praia. Com isso, juntamente aos horários flexíveis, é possível unir a manutenção da qualidade de vida dos colaboradores com o aumento da produtividade e de bons resultados.

Capacidade de autogestão

Uma outra característica que os profissionais desenvolvedores têm buscado, e que está diretamente ligada ao trabalho remoto, é a autogestão. Isso significa que o microgerenciamento, que já não fazia sentido antes, hoje não deve ser nem considerado como uma opção para liderar um time. 

Talentos têm buscado por mais autonomia para desenvolver seus trabalhos e lidar com as suas responsabilidades e, por este motivo, as empresas precisam formar seus líderes para que eles se certifiquem do trabalho de determinada equipe através dos resultados entregues, além de estimular e treinar a autonomia de cada colaborador.

É preciso que a cultura de sua startup ofereça um espaço onde o desenvolvimento da autoliderança seja possível, portanto, deixe muito claro que no seu negócio não haverá um gerenciamento verticalizado ou um microgerenciamento. Isso faz com que os profissionais tenham noção das suas próprias responsabilidades e, sem o excesso de cobrança, eles se tornam muito mais produtivos.

Remuneração

Com o mercado em expansão, o trabalho de desenvolvedores vem sendo muito valorizado e, com isso, os salários que já eram maiores, em comparação a outras áreas, estão ainda mais elevados.

A remuneração varia de acordo com a formação técnica e também com outras habilidades de cada talento. Quanto mais práticos e plurais estes conhecimentos, bem como o nível de experiência de cada desenvolvedor, maiores os salários. 

Mesmo que variável, os salários são elevados e muitos profissionais recebem até mesmo em dólar. Tenha em mente que a remuneração deve sempre fazer jus às responsabilidades assumidas por cada profissional dentro da sua empresa, baseando-se em pesquisas de mercado, como a que foi desenvolvida pela EZ.devs (aqui)

Muitas empresas investem em benefícios exclusivos e bonificações que permitem que os talentos se mantenham em desenvolvimento pessoal e profissional. Por este motivo é importante conhecer muito bem como você pode negociar a remuneração com os profissionais que deseja.

Ecossistemas

Por se tratar de processos nada simples, muitas empresas buscam fazer parte de ecossistemas de talentos de tecnologia que transformam o modo como as relações de trabalho se dão, prezando pela velocidade e flexibilidade quando o assunto são os talentos.

Na verdade, as empresas que integram estes ecossistemas não precisam mais buscar os profissionais incessantemente, pois eles já estarão lá, prontos para integrar os times das startups. 

Uma ideia bem consolidada no exterior que garante às startups brasileiras vários passos à frente na corrida por talentos. Este é, inclusive, o nosso propósito aqui na EZ.devs: levar a praticidade do acesso a profissionais de tecnologia à Startups do Brasil e do mundo para que elas impulsionem seu negócio.
Se esta parceria é o que você precisa, não deixe de falar conosco!

5 erros que você está cometendo na hora de contratar desenvolvedores

Contratar desenvolvedores, assim como qualquer outro profissional do setor de tecnologia, não é uma tarefa fácil. Com o mercado de tecnologia extremamente competitivo em 2021, as empresas precisam pensar em diversas estratégias para conseguir atrair os talentos para as suas organizações.

E é neste momento onde os gestores encontram mais dificuldades. Afinal, com o mercado aquecido e tantas oportunidades interessantes disponíveis, você pode até se questionar: “por que os melhores profissionais iriam escolher a minha startup?”.

O fato é que  a sua dificuldade para atrair talentos pode estar relacionada a alguns erros muito comuns que empresas cometem na hora de contratar desenvolvedores para a sua Startup. 

Pensando nisso, trouxe neste artigo os cinco maiores erros cometidos no recrutamento de pessoas programadoras. Confira abaixo!

Descrições de vaga mal elaboradas

O primeiro erro cometido por empresas que abrem vagas no setor de tecnologia é não descrevê-las da maneira mais adequada. Quando um possível candidato se depara com uma oportunidade que aborda exatamente quais são as habilidades e conhecimentos técnicos, bem como o nível de experiência exigido e até mesmo a remuneração, as chances deste profissional aplicar à vagas aumentam exponencialmente.

Não deixar claros todos estes tópicos podem não só afastar bons candidatos como também gerar aplicações de talentos sem fit com a vaga o que prejudicará o andamento dos seus processos seletivos.

Avaliação incorreta das hard skills 

Ok, você já tem candidatos interessantes aplicados à vaga que sua empresa abriu. Mas, você sabe realmente avaliar estes profissionais da melhor maneira? Outro erro comum na hora da seleção de candidatos é a má avaliação das hard skills destes talentos, aplicando testes que não se adequam aos perfis profissionais daqueles que aplicaram à vaga. 

Existem diversos tipos de testes técnicos, cada um deles destinado a um perfil específico de pessoa desenvolvedora, que leva em consideração algumas características como o nível de experiência. 

Além disso, é extremamente necessário que o recrutador responsável pela avaliação das hard skills tenha um bom conhecimento sobre a parte técnica, afinal, uma avaliação incorreta pode ocasionar contratações equivocadas que, no futuro, impactarão negativamente nos resultados da sua Startup.

Ignorar as soft skills

Se você acha que as habilidades comportamentais dos talentos não são tão importantes quanto a sua formação técnica e acaba por ignorá-las. Pare de fazer isso agora! 

Assim como as hard skills, as soft skills são de extrema relevância para analisar e contratar bons profissionais. Afinal, técnicas são habilidades treináveis, já as personalidades não. E, por este motivo, as empresas têm prezado por realizar uma boa avaliação de características como boa comunicação, organização e até mesmo o espírito de liderança presentes em cada um dos profissionais.

Startups que não prezam pelas soft skills, erram muito na hora de contratar desenvolvedores.

Employer Branding mal estruturado

Não pensar na sua Startup como uma excelente marca empregadora também é um erro. Principalmente com um mercado tão competitivo como o do setor de Tecnologia, os profissionais precisam ver sua empresa como o lugar em que sonham trabalhar e que se sentirão realizadas profissionalmente ao fazer parte da sua rede de colaboradores. 

Fortalecer seu employer branding é uma ótima maneira de solucionar este gap, e é algo que pode ser feito através do fortalecimento da cultura, otimizando o clima organizacional e fazendo com que os talentos sejam os protagonistas da sua empresa.

Outra estratégia interessante para fortalecer sua marca empregadora é apostar no Inbound Recruiting, assim você consegue fazer com que a cultura organizacional, já fortalecida, seja muito bem difundida no mercado, chegando até o seu público-alvo: pessoas desenvolvedoras em busca de excelentes oportunidades!

Processos seletivos não assertivos

Por último, mas não menos importante, os processos seletivos podem estar fazendo o trabalho contrário na sua empresa e ao invés de atrair candidatos, estão repelindo-os. Esse erro é bem comum entre empresas que querem avaliar demais os candidatos e acabam excedendo um número aceitável de etapas.

Alguns tópicos acima, apontei que as avaliações devem ser completas para que não aconteçam contratações erradas, mas não se confunda: existe uma linha tênue entre avaliações completas e processos seletivos exaustivos e é exatamente neste ponto que muitas empresas se perdem e afastam bons candidatos.

Para resolver isso, é necessário priorizar algumas etapas e desenvolver estratégias capazes de tornar os processos de seleção agradáveis tanto para a empresa como para os candidatos.

O que fazer para não errar mais?

Agora que você já sabe onde está errando, vem a pergunta: o que é preciso fazer para contratar desenvolvedores de forma correta? As soluções nem sempre serão fáceis e muitas exigirão a mudança de uma boa parte das suas estratégias. Mas, você não está sozinho. 

O primeiro passo é reconhecer os erros e isso você já fez. Resta agora não perder mais tempo e, assim, sair na frente nesta corrida por bons talentos. 

E é exatamente para isso que o Marketplace da EZ.devs está aqui. Através do nosso ecossistema, você não vai mais precisar se preocupar com inúmeros processos seletivos, avaliação de hard e soft skills e descrições de vagas completas, pois nós já fizemos tudo isso e cabe à você apenas identificar qual talento do nosso ecossistema é mais alinhado com os propósitos do seu negócio. 
Não pense duas vezes e garanta o melhor lugar na corrida por profissionais da tecnologia entrando em contato conosco!

Cenário do Mercado de Tecnologia em 2021

Você sabe como está o mercado de tecnologia neste ano? Para garantir o lugar da sua empresa na corrida em busca de talentos de tecnologia é imprescindível saber como este setor está se comportando. Continue a leitura para saber mais!

Todos sabemos que a tecnologia veio para ficar, e que o crescimento deste mercado já está em crescente há um tempo considerável. No entanto, a pandemia do coronavírus, que já se estende por todo o mundo durante mais de um ano, ocasionou uma mudança neste cenário fazendo com que a tecnologia se tornasse ainda mais necessária.

A grande maioria das empresas precisou contar com os seus trabalhadores colaborando de suas próprias casas e, com isso, o investimento em recursos tecnológicos, como em softwares mais eficientes, por exemplo, era praticamente a única saída para conseguir manter a capacidade produtiva das organizações mais próxima do que era antes do trabalho remoto.

Além do mais, o comércio digital, que também já encontrava-se em uma crescente, aumentou exponencialmente depois que a maior parte das pessoas, no mundo todo, precisou ficar em casa. Até atividades básicas do dia a dia, como compras de mercado e farmácia, passaram a ser feitas através do e-commerce, o que implica em maiores orçamentos com tecnologias, já que empresas que não adotam o digital dificilmente crescerão igualmente àquelas que o fazem.

O resumo da ópera, é que mais tecnologia implica na contratação de mais profissionais especializados na área e a problemática que permeia esta situação é que, até o momento, há muitas ofertas para pouca demanda. Ou seja, muitos trabalhos para poucos profissionais, e contratar profissionais como desenvolvedores, por exemplo, tem sido cada vez mais difícil para as startups.

A escassez de mão de obra qualificada ocasionou uma mudança nas relações de trabalho e, agora, são os talentos que ditam as regras. Com tantas oportunidades batendo à porta de uma só vez, fica claro que os profissionais podem escolher qual empresa ou projeto está mais alinhado com seus propósitos profissionais e pessoais. E é neste ponto que muitas startups perdem candidatos promissores e acabam por contratar talentos completamente sem fit com as vagas.

Isso acontece por diversos fatores, como a falta de tempo para dar mais atenção no recrutamento técnico, a ausência de processos seletivos atrativos ou até mesmo o diagnóstico impreciso de quais são, realmente, as necessidades do seu negócio e, portanto, de quais profissionais seu negócio precisa. 

Conhecendo o mercado de Tecnologia

Não importa qual seja a dificuldade da sua Startup, conhecer como está o mercado de tecnologia é o primeiro passo para saber como atingir os profissionais exatos e fazer com que eles realmente desejem trabalhar com você ou então, ao menos enxerguem a sua empresa como uma boa marca empregadora.

Este estudo se torna ainda mais necessário quando se trata de um cenário completamente diferente do que imaginávamos no passado, pois, por mais que a Covi-19 tenha exigido mudanças rápidas, muitas dessas inovações vieram para ficar.

Saber quais são os perfis profissionais presentes no mercado, como estão os níveis de experiência dos talentos, quais são os principais canais para aquisição de conhecimentos a respeito de tecnologia e o que eles esperam em um projeto é de extrema importância para que você esteja à altura das demais concorrentes na corrida pelos talentos. 

Além destes pontos, é importante estudar a respeito de outros temas sociais que envolvem o mercado de tecnologia, como as questões de gênero, garantindo assim maior abrangência nas seus recrutamentos futuros.

Estes e outros tópicos são abordados de maneira completa no Ebook “Mercado de Tecnologia – 2021”, desenvolvido pela EZ.devs, para que você fique por dentro de tudo o que envolve este setor e traçar estratégias mais assertivas para conseguir os melhores profissionais para o seu negócio.

Faça agora o download do Ebook sobre o Mercado de Tecnologia em 2021

Como vencer os desafios de atrair um desenvolvedor para sua Startup

Com a ampliação da busca por talentos de tecnologia por empresas dos mais diversos segmentos, um cenário que só tende a aumentar com o passar do tempo, há também o crescimento da competitividade entre as corporações para conseguir atrair os profissionais mais qualificados para dentro de seus negócios. Uma das carreiras mais requisitadas no mercado de tecnologia é a de desenvolvedor de softwares e nem sempre é fácil contratá-los. 

Convencer uma pessoa desenvolvedora de que sua startup é o local certo para ela colaborar não é uma tarefa simples. Todo este processo exige um diagnóstico preciso das suas dores, um bom planejamento de novas estratégias e uma análise de resultados. E estes são apenas alguns dos itens para que você vença os desafios de contratar e reter bons programadores para a sua empresa. 

Se você deseja dar o primeiro passo para ultrapassar estes obstáculos, está no local certo! Neste artigo vamos te apresentar algumas ideias para que você e sua startup superem as dificuldades de encontrar os talentos mais adequados saindo na frente de outras empresas que competem com você pelos mesmos profissionais. Além disso, você saberá o que é possível fazer para conseguir manter os seus desenvolvedores colaborando por mais tempo em seus projetos.

Para conferir tudo isso, continue a leitura!

Quais são os desafios

Conhecer exatamente quais são os gaps da sua empresa, e qual é exatamente a sua dor é necessário para saber exatamente o que fazer e qual o melhor caminho a seguir. Decisões precipitadas não são nem um pouco bem-vindas neste momento, e um diagnóstico impreciso pode fazer com que sua Startup tome rumos totalmente distintos daquilo que realmente é essencial para o seu crescimento. 

As dificuldades em contratar desenvolvedores podem ir desde a falta de recursos financeiros, uma marca empregadora muito bem consolidada até falhas no setor de recrutamento da sua empresa. 

Não conseguir atrair candidatos para os processos seletivos pode ser um forte indicador de que a cultura da sua empresa não está sendo transmitida da forma exata àqueles que a acompanham e isso pode fazer com que sua empresa perca grandes talentos para as concorrentes que investem neste quesito.

Outro ponto em que muitas empresas erram é no recrutamento. Ter a certeza de que o seu time de recrutamento é qualificado para avaliar talentos de tecnologia é crucial para que não haja prejuízos com contratações equivocadas, que acarretam uma série de outros problemas para o andamento dos seus projetos.

Então, fique atento aos pontos onde você pode estar errando.

Como dar a volta por cima?

Pensando em como sua empresa pode superar estes obstáculos, elencamos alguns pontos que podem te oferecer um norte para saber como e em que direção dar o primeiro passo para conseguir atrair e reter pessoas desenvolvedoras para os seus projetos. Não deixe de conferi-las a seguir:

Quem contratar?

Primeiro de tudo, é preciso saber exatamente qual ou quais perfis profissionais você precisa para dar andamento nos projetos da sua startup e em que eles podem agregar para a squad da qual farão parte, por exemplo. Quais hard skills e soft skills são necessárias aos profissionais para desenvolver o produto?

Após determinar o perfil profissional, você precisa avaliá-lo quanto ao fit cultural. O quão alinhados estes candidatos são com os valores e propósitos da sua empresa? Pense que habilidades técnicas a respeito de tecnologia você consegue treinar através de capacitações oferecidas aos colaboradores. Já para a cultura, não há meio termo. Ou os propósitos se encaixam, ou não.

Priorize o match

Alinhado com o tópico anterior, o match cultural tem muita influência sobre o desempenho dos talentos que colaboram no seu projeto, pois se não houver um alinhamento de ideias entre a empresa e o colaborador, será muito difícil construir boas relações que contribuirão para alcançar bons resultados nos projetos. 

Empresas que não priorizam aquilo que, aqui na EZ, chamamos de match perfeito, podem se deparar com profissionais desengajados, pouco produtivos e até mesmo com uma taxa de turnover muito elevada, o que prejudica qualquer empresa que busca o crescimento.

Por isso, a avaliação de fit cultural é uma das mais importantes de todo processo seletivo e não pode ser deixada de lado por nenhum recrutador. 

Aposte no Employer Branding

Assim como sua empresa busca pelos melhores talentos, os profissionais também almejam ser selecionados pelas melhores empresas. Aqui lanço uma pergunta na qual você precisa pensar: o que sua startup tem feito para ser a empresa dos sonhos de diversos profissionais?

Ao refletir sobre isso, conseguimos adentrar nos conceitos sobre employer branding, que consiste na construção da sua empresa como uma boa marca empregadora. 

Acompanhando nossa linha de raciocínio a respeito de cultura organizacional, que tratamos nos últimos tópicos, para construir um employer branding efetivo, faça com que os possíveis candidatos conheçam exatamente qual é esta cultura, como é a rotina de trabalho e a estrutura da empresa, quem são os rostos por trás do trabalho, entre muitos outros itens que podem ser explorados. 

Aqui, a criatividade é o limite e você consegue saber mais sobre o assunto e quais estratégias traçar, através deste vídeo:

O Marketing como aliado

Uma outra maneira de consolidar sua startup como uma marca empregadora é unindo o RH a outros setores importantes de qualquer empresa, como o time de Marketing.

Através de estratégias de Inbound Recruiting, a construção do employer branding se torna mais palpável e assertiva. Nós já falamos aqui no blog da EZ.devs como esta união do marketing com o recrutamento pode ser a virada de chave que você busca para atrair mais desenvolvedores para os seus projetos, já que possibilita uma reformulação dos processos seletivos, por exemplo.

Para saber mais a respeito do Inbound Recruiting, além dos artigos citados acima, confira este vídeo da EZ sobre o assunto:

Acredite nos profissionais e valorize-os

Empresas que confiam no trabalho de seus colaboradores e valorizam seus desempenhos, além de pensar em estratégias que permitam o crescimento profissional e pessoal dos talentos conseguem despertar uma maior sensação de pertencimento aos membros. 

As startups devem pensar sempre na satisfação dos seus colaboradores e o quanto fazer parte de determinado projeto agrega nas carreiras de todos eles. Para isso acontecer, é necessário criar um ambiente onde os profissionais sintam que são o centro das relações de trabalho dentro da empresa em que estão.

Conte com a EZ.devs

Você já descobriu quais são os principais desafios que seu negócio enfrenta quando o assunto é atrair desenvolvedores para os seus projetos e também conheceu algumas maneiras de solucionar grande parte destes gaps. Mas, se você não faz ideia por onde começar, nós podemos te ajudar.

Através do marketplace de tecnologia da EZ.devs, você consegue atrair os melhores talentos que o seu projeto precisa de uma maneira muito mais simples, sem precisar se preocupar em como você colocará todas estas ideias em prática.

Por aqui você irá se deparar com um ecossistema que preza pelo alinhamento dos valores entre as startups e os talentos, criando vínculos muito mais harmoniosos e que tornam o trabalho muito mais agradável e, ainda assim, garantindo qualidade nos resultados. Afinal, você já está ciente de que um match perfeito entre os colaboradores e a organização é indispensável na hora de expandir os negócios.

Por meio de estratégias de customer success, procuramos entender as necessidades de ambos os lados, tanto dos talentos como das empresas que fazem parte do nosso ecossistema, para que este, seja mais um passo à frente na escalada do seu projeto de tecnologia. 

Para saber mais sobre os benefícios de contar com a EZ.devs na hora de contratar pessoas desenvolvedoras para a sua Startup? Então não deixe de conferir tudo neste artigo aqui.

Tenho certeza que, juntos, conseguiremos traçar novos caminhos rumo ao crescimento da sua Startup!

Líder e time: O impacto que os pensamentos do líder causam na sua equipe de trabalho

Durante o processo de gerenciamento de uma empresa, é essencial que as funções exercidas pela equipe de funcionários sejam bem definidas, para que o negócio funcione como uma engrenagem bem ajustada. Todos devem trabalhar de forma sincronizada com um único e principal objetivo em comum: o sucesso da empresa. Uma das peças-chave dessa engrenagem, é o líder de uma equipe de trabalho.

O líder é aquele indivíduo com capacidade técnica para monitorar e conduzir um grupo de pessoas específico, ou seja, uma equipe de trabalho, em busca de um objetivo. Sabemos que essa tarefa não é fácil e que exige grande facilidade de relacionamento interpessoal e trabalho em equipe, para organizar as tarefas e metas a serem cumpridas.

Um líder não é aquele que somente delega tarefas, mas que participa de todo o processo, atribuindo responsabilidades para a equipe e atuando nas decisões importantes da empresa.

O trabalho em equipe é essencial dentro de uma empresa, pois é a partir dele que os resultados são gerados. Os vários tipos de equipe de trabalho presentes em um negócio necessitam de líderes específicos que possam compreender as especificidades de cada um e planejar o trabalho de acordo com sua capacidade. Uma equipe que não recebe a orientação e liderança adequada pode prejudicar o crescimento de uma empresa e levar os projetos criados por água abaixo, por isso, sua função é extremamente importante.

O líder ideal é aquele em quem a equipe de trabalho se espelha e tem como maior exemplo de excelência profissional. Por isso, possui a capacidade de influenciar diretamente sua equipe, tanto de forma positiva, quanto negativa.

Abaixo citei algumas formas sobre como o pensamento do líder pode influenciar sua equipe de trabalho. Vamos conhecer?

Equipe de trabalho motivada

Um bom líder é capaz de manter sua equipe sempre motivada. Sabemos bem que quando a equipe tem motivação e energia para trabalhar, o resultado do trabalho é excelente.

Palavras de incentivo e o tom que o líder usa para delegar as funções são muito importantes na relação de trabalho. Essa atitude pode aproximar mais o líder da sua equipe e pode influenciar na forma como desempenham as suas funções, dando o melhor de si nas tarefas diárias.

É importante que a equipe possa ter um relacionamento de igualdade com o líder e este saiba reconhecer as qualidades dos seus liderados, apostando sempre no ponto forte de cada um.

É também um fator motivador quando há um esforço conjunto de toda a equipe. Quando as pessoas conseguem ver um líder responsável, compreensivo e que se esforça muito pela sua equipe, é mais fácil ter um ambiente de trabalho de união e sincronia.

Resultados excelentes 

Obter resultados extraordinários é o objetivo de toda empresa que deseja crescer no mercado.

Um líder deve sempre se preocupar com o desempenho da sua equipe. Independente se a sua empresa for de pequeno ou médio porte, é recomendável lançar mão da tecnologia disponível para alcançar os melhores resultados.

Atualmente no mercado, existem plataformas que podem auxiliar na gestão de equipes de trabalho e podem ser muito úteis para organizar os recursos humanos da empresa e assim tornar o trabalho mais eficiente. Um exemplo de plataforma muito utilizada é a amoCRM.

Equipe com senso de pertencimento

Outro aspecto importante da influência do líder na equipe de trabalho é o desenvolvimento do senso de pertencimento.

Esse senso diz respeito à quanto uma equipe percebe a importância da sua função em determinado ambiente de trabalho e se sente parte do conjunto. Quando os trabalhadores de uma empresa sentem que pertencem ao ambiente no qual estão inseridos, o trabalho flui sem dificuldades. O reflexo disso é uma equipe de trabalho efetiva e que não vê seu cargo como um fardo obrigatório.

Quando o pertencimento está presente no ambiente de trabalho, o trabalho não é realizado somente com o objetivo de obter um salário no fim do mês, mas se torna satisfatório para os membros da equipe.  Além disso, pode despertar o interesse no crescimento profissional na empresa.

Equipe valorizada

Dentro de uma única equipe, pode haver diversos tipos de profissionais. Suas diferenças variam desde  habilidades específicas inerentes de suas especialidades (por exemplo, um programador e contador na mesma equipe), até características individuais, como a habilidade para executar rapidamente algumas tarefas, a facilidade em aprender coisas novas e a capacidade de análise.

O líder precisa saber reconhecer essas diferentes habilidades e valorizar cada indivíduo de acordo com sua função e desempenho.

A valorização pode ser demonstrada através de várias ações como:

  • Bônus financeiro;
  • Oportunidade de crescimento na empresa;
  • Saber ouvir a equipe.

Portanto, quando uma equipe se sente valorizada, consegue ser muito mais produtiva nas suas funções. Além disso, o bom relacionamento entre a equipe de trabalho e o líder, pode ser um berço de ideias inovadoras e criativas para o crescimento da empresa.

Além do desenvolvimento: 3 hard skills e soft skills para sua Squad

Para conseguir bons resultados na execução de projetos de tecnologia, muitas empresas têm apostado em metodologias ágeis, inspiradas em grandes negócios como o Spotify e a NuBank, que utilizam o modelo de squad – uma das metodologias ágeis mais conhecidas no setor de tecnologia. 

Já abordamos em outros artigos aqui no blog da EZ, o quão interessante pode ser adotar os métodos ágeis para garantir a melhor performance dos talentos e, consequentemente, os melhores resultados. Mas, para conseguir colocar essas estratégias em prática é necessário conhecer muito bem sobre as necessidades da sua empresa e, assim, conseguir selecionar os profissionais mais capacitados para trabalhar no seu projeto. 

Pensando nisso, trouxe neste artigo algumas das skills necessárias aos talentos que você deseja recrutar para compor as suas Squads. Continue a leitura para saber mais!

A importância das skills para as Squads

Cada vez mais valorizadas pela grande maioria de Tech Recruiters, as habilidades e competências dos profissionais de tecnologia são pontos que não devem passar despercebidos na hora de montar a sua squad. Afinal, você precisa ter a certeza de que está contratando os talentos certos para o seu produto ou projeto. 

O intuito principal das empresas ao adotarem as metodologias ágeis para a execução dos projetos é trabalhar com a multidisciplinaridade. Neste caso, a ideia de agilidade caminha lado a lado com a autonomia das equipes e, para que isso aconteça, é necessário montar times que reúnem profissionais desde o financeiro à engenharia de software.

Isso porque, quando trabalhamos em conjunto com outros setores de um mesmo projeto e com a finalidade de alcançar um mesmo objetivo, conseguimos encurtar diversos processos que demandam tempo e podem atrasar os resultados que precisam ser alcançados rapidamente. De modo geral, esta é a principal característica das metodologias ágeis, em especial as Squads.

Mas, para conseguir cumprir com estes objetivos, as squads precisam ser formadas por pessoas que possuem algumas skills específicas, que vão desde conhecimentos técnicos à habilidades comportamentais. Grande parte dos talentos no mercado de trabalho de TI já têm noção de que tais competências são levadas em consideração e têm investido no aprimoramento destes conhecimentos para serem os profissionais ideais para compor as squads das empresas que desejam trabalhar. 

Agora, basta ao setor de recrutamento e seleção saber avaliá-las da melhor maneira e, para isso acontecer, precisamos começar do começo, não é mesmo? Então, aqui neste artigo vamos elencar algumas das skills que precisam ser avaliadas para montar os times ideais, garantindo organização, qualidade e entregas dentro do prazo. 

Hard Skills

As hard skills consistem nos conhecimentos técnicos que um talento tech possui,  que podem ser comprovados através de diplomas, certificados e até mesmo exames de proficiência. Estas skills vão desde cursos técnicos e uma graduação até cursos de idiomas, por exemplo, e possuem maior evidência dentro do mercado de trabalho.

Para confirmar que os candidatos que você está avaliando realmente possuem os conhecimentos que alegam ter, é necessário avaliá-los através de testes técnicos, que podem ser aplicados por um profissional da área ou por um Tech Recruiter que domine o assunto, afinal, será necessário validar estas habilidades. 

As hard skills são as principais responsáveis por garantir a produtividade e a qualidade dos no decorrer dos processos e nos resultados entregues. Algumas das hard skills essenciais em qualquer Squad estão listadas abaixo, e vão além dos conhecimentos técnicos específicos para cada membro de uma Squad.

Métodos Ágeis

Primeiro de tudo, é necessário que os profissionais saibam como trabalhar em uma empresa que preza pela cultura ágil, pois, quando não as conhecemos, fica muito mais difícil entender quais são os seus objetivos e o seu modus operandi. Um diferencial interessante de ser avaliado é se os candidatos conhecem outras metodologias ágeis além das Squads, como Scrum ou Kanban.

OKRs E KPIs

Candidatos que possuem conhecimento técnico na área de negócios e do setor empresarial como um todo também merecem uma atenção especial dos recrutadores. Uma das características que podem ser analisadas são os conceitos de OKRs e KPIs presentes em todas as empresas. 

Ter conhecimento sobre estas duas métricas é importante para que todos os membros de determinado time possam focar nos objetivos a serem alcançados e ajudar a traçar os caminhos certos para realizá-los, avaliando, por exemplo, quais estratégias estão dando certo e quais precisam ser melhoradas.

Inglês

No setor de tecnologia, dominar um idioma secundário, principalmente o Inglês é importante para se destacar no mercado de trabalho e se manter sempre atualizado. Isso porque muitas tecnologias são lançadas a todo o momento, com isso muitos softwares e ferramentas essenciais possuem versões somente em inglês. Esta não é uma skill obrigatória para os candidatos, mas pode ser um grande diferencial na hora de selecionar os talentos para a sua Squad.

Soft Skills

Diferentemente das hard skills, as soft skills são habilidades comportamentais que não podem ser mensuradas através de certificações. Muitas delas são características inerentes a cada profissional ou conquistadas ao longo dos anos, através das experiências profissionais. Cada vez mais, recrutadores têm dado grande importância para as soft skills em profissionais da tecnologia, e não deve ser diferente na hora de montar o seu time ágil.

Por mais que as hard skills sejam essenciais para o bom funcionamento dos processos, sem as habilidades comportamentais, todo o princípio das metodologias ágeis é perdido e os resultados ficam muito longe do esperado. Algumas das soft skills que todo o Squad precisa ter estão listadas abaixo.

Trabalho em equipe

Por se tratar de um time multidisciplinar e autogerenciável, é imprescindível que todos os talentos, de todas as áreas do conhecimento, saibam conviver e trabalhar em grupo. Nos Squads, a liderança costuma ser muito horizontalizada e, por isso, saber falar, ouvir e opinar no momento certo fará toda a diferença para a entrega de bons resultados.

Boa comunicação

Não há como falar de trabalho em grupo sem abordar a boa comunicação. Afinal, saber se expressar de uma forma efetiva e sem ruídos é a chave para o convívio em grupo dar certo. Caso contrário, quando não conseguimos ser claros e objetivos as mensagens não são passadas da maneira correta e isso pode afetar os processos produtivos da empresa como um todo.

Proatividade e empatia

Dentro de uma Squad, é essencial que os talentos sejam proativos e que tenham empatia. Pois, como os times são autogerenciáveis, a solução de problemas que podem vir a acontecer ao longo do projeto deve partir daqueles que estão trabalhando no mesmo. É preciso que eles não tenham medo de buscar novas alternativas e que também saibam entender a posição dos outros membros, pois isso tornará o trabalho muito mais agradável e eficiente.


Agora que você já sabe mais sobre metodologias ágeis, o que acha de conhecer nossos serviços e garantir as  melhores Squads para os seus projetos? Entre em contato com um de nossos consultores por aqui!

Principais desafios para escalar seu time de tecnologia

Encontrar o profissional ideal para compor um time de tecnologia tem sido uma tarefa difícil para muitas empresas que buscam a inovação digital, provocada por uma série de fatores que vão desde a cultura organizacional desalinhada com os valores dos talentos até a falta de recursos financeiros para tal atividade. 

Pensando nisso, trouxemos uma luz no fim do túnel para sua empresa alcançar a inovação através dos melhores talentos de tecnologia. Para saber mais, basta continuar a leitura!

Um cenário inédito

Devido à pandemia de covid-19 e a crise econômica que se instaurou em muitos países do globo, as empresas tiveram que se adaptar a um cenário inédito e desfavorável para o seu crescimento dentro do mercado, inclusive para startups que até então eram tidas como promissoras, como o caso da Gympass.

Com tantos setores prejudicados, a tecnologia se mostrou essencial para que as empresas dessem uma volta por cima para não enfrentar ainda mais dificuldades. A inovação digital se tornou uma peça chave para conectar o mundo em um momento onde é necessário que nos isolemos uns dos outros e, o que era para acontecer somente daqui há alguns anos, precisou ser adiantado para este exato momento!

Sendo assim, a busca por profissionais de tecnologia vem aumentando a cada dia, e as demandas têm sido muito maiores do que a quantidade de mão-de-obra disponível no mercado. Muitas empresas ainda não conseguiram montar seus times de tecnologia da melhor maneira e, abaixo, vamos falar um pouco mais das principais sobre as dificuldades encontradas.

Principais dificuldades para escalar um time de Tecnologia

Engana-se quem pensa que a única dificuldade das empresas na hora de contratar um time de tecnologia é apenas a falta de mão-de-obra. Na verdade, talvez este seja o menor dos problemas. Afinal, não adianta nada ter uma gama de profissionais disponíveis para as mais diversas áreas se as organizações não possuem os recursos financeiros suficientes, ou até mesmo estão com dificuldades para avaliar o que realmente é necessário para o crescimento do negócio. 

Falta de recursos financeiros 

O mercado de tecnologia garante algumas das melhores remunerações de profissionais, e isso não é novidade para nós, não é mesmo? Mas, com certeza você já pensou que, ao contratar desenvolvedores, por exemplo, você não arcará apenas com as despesas dos salários destes profissionais. 

Quando uma empresa resolve investir em um time de tecnologia interno, é necessário estar ciente de que haverá despesas relacionadas à estruturação deste setor, que não são poucas. Equipamentos mais elaborados, construção de escritórios e até mesmo as capacitações e treinamentos são alguns itens desta lista que fazem muitos gestores repensarem se realmente vale a pena montar um time interno.

Dificuldades para avaliar os profissionais

Para contratar talentos de tecnologia, é necessário que os recrutadores tenham algum conhecimento técnico na área para conseguir avaliar os candidatos de maneira eficiente. Por isso, as empresas devem arcar também com a capacitação deste setor, já que uma contratação errada prejudica o desempenho futuro da corporação em diversos níveis.

Baixa retenção dos talentos 

Outra dificuldade encontrada por empresas está na alta taxa de turnover dos talentos. Esta baixa retenção pode ser justificada por diversos motivos, incluindo as etapas de seleção que citamos no tópico anterior.

Ainda tratando sobre avaliação de candidatos, muitas vezes as empresas não conseguem um bom engajamento logo no processo seletivo e, por isso, vale repensar estas estratégias. Contar com processos muito longos, com quatro etapas ou até mais, por exemplo, é algo muito desgastante para os candidatos e pode afastá-los da sua empresa. 

Existem muitas técnicas que possibilitam a execução de um processo seletivo mais dinâmico e atrativo para as empresas. Uma delas é o Inbound Recruiting, que traz estratégias do marketing para o RH, e já explicamos mais sobre ela aqui no blog da EZ!

Outra justificativa para a baixa retenção de profissionais no time de tecnologia da sua empresa, é a falta de fit cultural. No mercado atual, os talentos têm procurado por estar em empresas que tenham uma cultura alinhada aos valores nos quais eles acreditam e, dificilmente você conseguirá montar um bom time quando esta característica não está presente. Se o match perfeito não acontece, então os bons resultados também não aparecem!

Diagnóstico preciso

Conhecer quais são as dores da sua startup é o primeiro passo para montar um bom time de tecnologia. É preciso saber exatamente de quais profissionais de tecnologia sua empresa precisa para crescer e de como você deseja desenvolver os seus projetos.

Por isso, um trabalho personalizado é a melhor saída para quem enfrenta os desafios apresentados anteriormente.

Existem muitas alternativas relacionadas à contratação e alocação de talentos de tecnologia que permitem que você tenha bons profissionais trabalhando no seu projeto, mas apenas uma te oferece a experiência de ter os talentos mais adequados às suas necessidades, como em um time interno e com os custos bem mais inferiores.

Esta saída é o marketplace gerenciado de talentos de tecnologia. Se você está em busca de reduzir as taxas de turnover da sua empresa com profissionais qualificados e que acreditam nos mesmos princípios que os da sua empresa, fazer parte de um ecossistema que integre tudo isso trará os resultados que sua startup almeja vinculado a muitos outros benefícios para o seu negócio.

Através do marketplace da EZ, você consegue garantir o match cultural perfeito entre o talento e o seu projeto! 

Ficou curioso? Entre em contato com um de nossos consultores e conheça as nossas soluções!