Contratar desenvolvedor: o que nós aprendemos em três anos de empresa

Negócios

Se você teve que passar pela experiência de contratar desenvolvedor nos últimos meses, sabe que essa não é uma tarefa fácil.

Dado a necessidade do mercado e a falta de profissionais qualificados, achar bons desenvolvedores está sendo uma tarefa quase que impossível.

Agora se você acha que vai melhorar, pode esperar sentado, estima-se que em 2024, o mercado de TI vai sentir uma falta de 290 mil profissionais.

Ou seja, um profissional de tecnologia vai ser praticamente um unicórnio.

Hoje, contratar bem é um diferencial competitivo e tanto, no futuro, vai ser uma questão de sobrevivência.

Faz 3 anos que nós abrimos a ez com o objetivo de ajudar empresas na alocação de profissionais de tecnologia, então posso dizer que erramos, aprendemos e acertamos muito nesse período.

E é com base nisso, que resolvi escrever esse artigo, vou citar todas as boas e má praticas que fizemos durante os últimos anos, porque afinal, esperto é quem aprende com os erros dos outros não é mesmo?! Então vamos lá.

Nunca abdique da qualidade

Sabe aquela vaga urgente? Que vem de uma saída de um profissional perto do prazo de entrega de uma release, que e ainda por cima não cumpriu aviso. É ai que mora o perigo.

Pela pressão de contratar um desenvolvedor o mais rápido possível, pra tapar o buraco, a maioria dos gestores acabam abdicando da qualidade.

Não avaliando corretamente, tecnicamente nem culturalmente.

A princípio, tudo pode parecer lindo, mas quando o tempo passa você descobre o buraco que você entrou, afinal o custo de um turnover pode chegar em até 24x o salário do profissional.

Seja o mais acessível possível na descrição da vaga

Outro grande erro de algumas empresas é criar uma vaga “hipster” de mais.

Com pouca informação, um idioma diferente ou pouco divulgada. Talvez por uma tentativa de se sentir superior, a empresa acaba afastando a pouca quantidade de bons profissionais que existem no mercado.

Afinal, como já disse anteriormente, existem muito mais empresas procurando devs do que devs procurando empresas.

Então coloque o máximo de descrição possível, procure ser o mais inclusivo possível e não utilize de jargões nesse momento.

Deixe para fazer a avaliação técnica em outro momento, o objetivo inicial é fazer a vaga chegar ao máximo de pessoas.

Crie uma comunidade

Nada é tão importante quanto criar uma comunidade, os desenvolvedores precisam conhecer a sua empresa para que queiram trabalhar nela.

Sendo assim, participe de eventos sempre que possível (de preferência patrocine ou crie), tenha uma presença digital e tenha sem um “banco de dados” com todos os profissionais e o máximo de informações possível.

Powered by Rock Convert

Assim você facilita e muito o processo de contratação.

Nunca feche a vaga antes de fechar de fato o contrato com o candidato

Um dos maiores erros que fizemos aqui foi “fecharmos vagas” antes do contrato assinado com o candidato.

Ou seja, desclassificamos um monte de bons candidatos porque o fulano tinha aceito nossa proposta verbalmente.

Porém, alguns dias depois a pessoa desistiu da vaga por motivos pessoais e ficamos a ver navios, tendo que abrir a vaga e procurar candidatos interessados novamente.

Não queira pagar menos que o mercado

Outro grande erro é pagar menos que o mercado está pagando.

Se for uma questão de sobrevivência da empresa, tudo bem, desde que isso fique bem claro para o profissional do outro lado.

O pior que você pode fazer é aproveitar de um momento de fragilidade da pessoa do outro lado para contratar um desenvolvedor pagando um valor abaixo do praticado.

Acredite, isso vai cobrar no médio/longo prazo, a pessoa vai receber propostas muito mais tentadoras do que a sua, ainda mais em um mercado como o de tecnologia.

E quando eu falo de pagar não quero só dizer dinheiro, quero dizer na soma total de salário + benefícios + cultura da empresa + ambiente, que é o que o profissional leva em conta antes de tomar uma decisão.

Considere sempre o tempo de rampagem na hora de contratar um desenvolvedor

Achar que vai contratar um profissional e que ele vai estar sabendo tudo da sua empresa, projeto, tecnologia e pessoas envolvidas em alguns dias é loucura.

Um profissional demora pelo menos uns três meses para entender completamente um projeto, e esse tempo aumenta de acordo com o tamanho do projeto e com a sênioridade do desenvolvedor.

Se o seu produto for algo que vem sendo feito faz anos, espere um bom tempo até o desenvolvedor ser “fluente” em tudo o que está a volta dele.

Por isso é sempre bom levar em consideração esse tempo no momento de abrir uma vaga.

Tenha empatia

E por último mas não menos importante, tenha empatia.

Pode ser que a pessoa do outro lado esteja tendo um dia ruim no dia da entrevista, ou que não está bem de saúde no momento da prova.

O que quer que seja, sempre tenha certeza de que a pessoa está em 100% das suas condições para realizar o teste. Se não, você pode descartar um ótimo profissional só por conta de timing.

Além disso, em caso de negativa, sempre seja o mais transparente e educado possível, pois se for uma questão técnica, a pessoa pode estudar e ser um recurso importante para a sua empresa em um momento futuro.

E ai, gostou das dicas? Acha que agora você consegue contratar um desenvolvedor preenchendo aquela vaga que está aberta ai faz tempo?

Se tiver algum dúvida deixa aqui nos comentários que respondemos o mais rápido possível.