CTO: Qual o seu papel em uma startup

CTO é a sigla pra Chief Technology Officer, ou seja o executivo de tecnologia de um negócio.

Cada vez mais em notoriedade, CTO é o “guru”, que responde por todas as decisões tecnológicas que um negócio tem que tomar, seja ele uma startup ou não. De uma maneira geral, é quem toma decisão de qual linguagem, frameworks, banco de dados e infraestrutura utilizar.

Claro que nem tudo é tão simples assim… O papel de um CTO, assim como o de outros executivos, pode mudar de acordo com o tipo, o tamanho e até mesmo o momento da empresa.

Por isso vou citar aqui, as atribuições mais comuns para cada momento de uma startup, desde o momento da sua concepção até a escala. Vamos lá?

Fase embrionária

Quando o seu negócio está começando, ou seja, quando você está tirando suas ideias do papel, o CTO tem parte fundamental no desenvolvimento do software em si.

Nesse momento, ele atua mais um programador sênior do que um gestor ou gerente. Dessa forma, ele passa a maior parte do tempo codando e, caso exista mais algum dev na equipe, gerenciando a qualidade dessa outra pessoa.

A presença do CTO nesta fase é fundamental para o futuro da empresa pois, desta forma, ele conseguirá conhecer a fundo o produto para tomar decisões de gerenciamento em outros momentos do negócio.

Fase de validação do negócio

Como nós sabemos, econtrar o product market fit faz parte da vida de todas as startups. E para isso, é necessário ótimos ciclos de Lean (Learn, Build, Measure).

Sendo assim, nessa fase, é fundamental uma participação especial dele, pois só assim você vai conseguir garantir que esses aprendizados sejam traduzidos de maneira real para a tecnologia.

Então aqui, o CTO precisa ser além de um programador sênior, um bom analista de negócios, para entender os problemas dos usuários e solucioná-los através das funcionalidades do software.

Fase de escala

Agora que você passou da fase de aprender e tem um produto “estável” não precisa mais de um CTO, certo? Errado.

É nesse momento que o CTO vira um gerente. Aqui ele é o responsável pela contratação de profissionais, manutenção da qualidade de código e por pesquisa e desenvolvimento.

Resumindo, ele é o responsável por fazer o seu produto aguentar toda a escala que sua startup alcançar. E isso não é uma tarefa simples.

Porque não iniciar um negócio sem um CTO

Pode parecer loucura, mas é cada vez mais comum negócios digitais, sairem do papel (e até continuarem por muito tempo), sem um CTO. Afinal, se encontrar boas pessoas desenvolvedoras não é uma tarefa fácil, contratar um CTO é ainda mais difícil.

Mas, iniciar sem um profissional desse perfil é muito pior do que a demora para encontrá-lo e pode custar muito caro para a sua startup a médio e longo prazo.

Imagine que você tenha que tomar todas essas decisões que citei sozinho, sem saber nada de tecnologia, as chances de isso dar errado são de quase 100%. Ou pior, que você tenha terceirizado essa decisão para outra pessoa, que não faz parte da sua empresa, como uma outra empresa ou freelancer.

Chegará o momento em que você não saberá mais nada da tecnologia do seu negócio. O que é um grande risco, afinal, se tratando de uma startup, a tecnologia faz parte do “core business”.

Por isso, sempre considere esse tipo de profissional na hora de tirar o seu produto digital do papel.


E aí, entendeu qual o papel de um CTO nas empresas?

Se você gostou desse post, compartilhe com seus amigos, se tem alguma dúvida, não deixe de comentar que responderemos o mais rápido possível!

Compartilhar:

Gabriel
Último artigo
Contratar desenvolvedor: o que nós aprendemos em três anos de empresa
Próximo artigo
Fábrica de software ou alocar um desenvolvedor