Employer branding: 4 métricas para medir a atração da sua empresa

Employer branding e os conceitos de marca empregadora já foram temas abordados em outros artigos aqui no blog da EZ.devs. Ressaltamos a importância de traçar estratégias capazes de mostrar aos talentos porque sua empresa é o lugar onde eles desejam trabalhar, principalmente em um cenário de alta competitividade por talentos, onde nem sempre a empresa que oferece o salário mais alto será aquela que conseguirá atrair os profissionais. 

Isso porque, atualmente, itens como a qualidade de vida, um ambiente de trabalho saudável e desafios técnicos alinhados com os planos de carreira têm pesado muito mais na balança de pessoas desenvolvedoras na hora de escolher o melhor lugar para se trabalhar. 

Fazer com que a cultura da sua empresa seja vista pelos potenciais talentos é a chave para atrair os melhores talentos para o seu time, realizando contratações assertivas e, assim, driblando um dos maiores desafios das startups atualmente: reduzir as taxas de turnover.

No entanto, apenas aplicar estas estratégias não é o suficiente para consolidar o seu employer branding. Assim como em qualquer outra estratégia, para fortalecer a visão da sua empresa como marca empregadora é necessário medir o desempenho das ações realizadas e analisar a sua efetividade.

Pensando nisso, trouxe neste artigo algumas métricas essenciais para que você consiga medir a capacidade da sua empresa em atrair e reter os melhores talentos. Continue a leitura!

Principais métricas aplicadas no Employer Branding

Abaixo, encontram-se as cinco principais métricas para analisar o desempenho das ações de employer branding dentro da sua empresa. Vale ressaltar que, antes de adotá-las, é necessário definir quais resultados sua empresa deseja alcançar com estas estratégias, seja a redução das taxas de turnover, atração de novos talentos, aumento nos acessos às páginas e anúncios de vagas ou até mesmo a redução no tempo dedicado às contratações. 

Taxa de retenção

Considerada uma das métricas mais importantes para garantir a efetividade no recrutamento e seleção, calcular a taxa de retenção de talentos consiste em analisar o quanto a sua empresa está sendo capaz de manter os profissionais nos times. Uma análise quantitativa diretamente ligada à taxa de turnover do seu negócio.

Uma empresa que é capaz de reter os talentos mostra que possui um ambiente de trabalho seguro e agradável, que corresponde às expectativas dos profissionais. Afinal, nenhum recrutador contrata com a intenção de desligar os colaboradores após três meses, não é mesmo?

Para calcular esta métrica, basta selecionar um período de tempo em que se deseja analisar e dividir a quantidade de trabalhadores ao final deste período pela quantidade inicial do período. Quanto mais próximo de 1 for o resultado, melhor é a taxa de retenção. 

Tempo de contratação

Saber exatamente quanto tempo seu time de recrutamento e seleção gasta ao longo de todo o processo de contratação de novos talentos é uma boa métrica para analisar a efetividade da gestão da sua marca empregadora. 

Isso porque, contratações que demoram muito tempo para acontecer podem indicar uma má estruturação nos processos seletivos ou até mesmo no sistema de recrutamento da sua startup, algo que impacta diretamente o seu employer branding, tendo em vista que processos de recrutamento e seleção eficientes também fazem parte da construção de uma boa marca empregadora. 

Portanto, analise periodicamente como seu time de RH está evoluindo em relação ao tempo dedicado para cada contratação. 

Qualidade na contratação

Muito mais importante do que atrair uma grande quantidade de talentos, é garantir que estes tenham fit cultural com a empresa e, assim, sejam os profissionais certos para o seu time. Os futuros colaboradores só conseguirão agregar valor ao trabalho se os seus objetivos estiverem alinhados com os propósitos do seu negócio precisam estar alinhados com os propósitos do seu negócio.

Sendo assim, para analisar a qualidade nas contratações, é preciso identificar o valor gerado pelos talentos em seu primeiro ano de empresa, bem como a sua produtividade ao longo do tempo. Além disso, procure saber quanto tempo estes novos colaboradores levam para ter o mesmo desempenho dos veteranos, de acordo com os seus escopos, é claro.

Você perceberá que a gestão do seu employer branding está sendo assertiva quando ela possibilita uma melhoria constante dos talentos ao longo do tempo em que estão na empresa. Faça este acompanhamento com o auxílio das lideranças, assim, você obterá respostas mais precisas.

Indicações e reputação da empresa 

Por último, mas não menos importante, vale se questionar o quanto a sua marca tem sido promovida através do marketing “boca a boca”. Antes de propagar a cultura da sua empresa mundo afora, é necessário garantir que ela está bem consolidada entre aqueles que já fazem parte dos times, e uma boa maneira de identificar isso é analisando a porcentagem de candidaturas à determinada vaga que foram feitas através das indicações dos próprios colaboradores da empresa. 

O número de indicações nos processos seletivos reflete a força da nossa marca empregadora, já que é muito pouco provável que funcionários descontentes com o seu ambiente de trabalho o indicarão a seus conhecidos. Analise o quanto os seus colaboradores se empenham em divulgar as oportunidades e quantos talentos provenientes destas indicações você realmente contrata. Quanto maior for este número, mais forte é o seu employer branding.

Ao longo deste artigo, você viu que as métricas são tão importantes quanto a implementação do seu employer branding. Afinal, de que adianta implementar novas estratégias sem analisar se elas estão sendo realmente efetivas, não é mesmo? 

Garanta que seu time de recrutamento esteja a par com estas métricas e fortaleça a visão da sua empresa como uma boa marca empregadora!

Compartilhar:

Camila
Último artigo
Marketplace de Tecnologia: Por que as Startups fazem parte do nosso ecossistema?
Próximo artigo
Carreira internacional: dicas para ser empregado em empresas do exterior