O que faz um Líder de Produto?

Negócios

O líder de produto é um profissional fundamental para o crescimento de uma startup e a manutenção de uma scale-up. Por muitas das vezes, esse profissional é o responsável por acompanhar o andamento do projeto técnico, analisar as condições de mercado e também estabelece uma visão de produto diferente para se destacar entre concorrentes. Além disso, o líder de produto trabalha bastante com gestão de pessoas e possui conhecimento estratégico na busca por aumentar a produtividade da empresa.

Pensando em exemplificar melhor qual o papel do líder de produto na empresa, nós preparamos um artigo que detalha melhor quais as suas principais responsabilidades e quais habilidades precisam fazer parte do profissional. Confira.

O que faz um líder de produto?

Indica qual o caminho a ser percorrido

Uma das principais responsabilidades de um líder de produto é indicar para sua equipe qual o caminho que deve ser percorrido para a entrega de determinado projeto. Para que isso seja possível, o profissional precisa entender com clareza quais são as necessidades do cliente e analisar a viabilidade do produto em determinado espaço de tempo de produção.

Entretanto, apesar de parecer que essa responsabilidade seja apenas do líder, toda a equipe de tecnologia pode dar sugestões e definir possibilidades de acordo com a tecnologia que seja utilizada no projeto. A presença de uma liderança para esses times é justamente para garantir que todos os passos sejam executados e que nada se perca durante o processo.

A partir da definição do que precisa ser feito, cabe também ao líder técnico metrificar o desempenho do seu time para possíveis análises sobre o que está dando certo ou errado na rotina de trabalho. Também cabe ao líder realizar mudanças para que essas metas sejam atingidas.

Auxilia na construção da equipe de desenvolvimento

Outra responsabilidade atribuída aos líderes de produto é a construção de uma equipe de alto desempenho. Atualmente, um fator que dificulta ainda mais o trabalho de um líder, é o gerenciamento de equipes remotas. Com a normalização do regime home office, uma das principais dúvidas que surgem é como criar uma unidade coesa, produtiva e que ande na mesma direção, quando você não tem aquele contato humano regular.

É aí que entra um possível diferencial de um líder técnico pois o profissional que se especializar nesse tipo de gerenciamento vai se destacar no mercado da tecnologia. Um bom passo para enfrentar esse desafio é definir metas claras e objetivas para seu time, utilizar ferramentas para gerenciamento de tarefas e também organizar cronogramas bem elaborados para que sua gestão seja simplificada.

Além disso, é super importante saber contratar profissionais. Esteja atento se o profissional se adequa ou não ao fit cultural do seu time, e inclua sua equipe no processo de entrevista. Contratar funcionários apenas pelas suas habilidade técnicas pode ser um problema se o clima no ambiente de trabalho for comprometido por algum profissional sem fit, o que diminui as chances de sucesso em seus projetos.

Powered by Rock Convert

O que um líder de produto precisa ter?

Habilidade técnica

Para que um líder técnico se destaque é super importante que suas habilidades técnicas estejam apuradas principalmente para as tecnologias mais utilizadas atualmente. Além disso, para que andamento do projeto saia como planejado, apesar de não colocar a “mão na massa” ser expert nas tecnologias utilizadas pela empresa em questão permite auxiliar os desenvolvedores e solucionar possíveis problemas de execução que possam aparecer.

Além disso, é importante que o líder de produto tenha conhecimento técnico apurado em ferramentas de gestão pessoas e projetos, e metrificação de resultados. Dessa forma, sua equipe conseguirá ter um excelente feedback sobre o que está dando certo ou o que precisa mudar.

Saber gerenciar pessoas

Uma das características mais importantes de um grande líder de produto são suas habilidades de gerenciamento de pessoas. Ao formar conexões confiáveis ​​com seus profissionais e também com seus clientes a liderança acaba que sendo inspiradora e ajudando os desenvolvedores a atingirem todo o seu potencial de produtividade.

Saber como gerenciar conflitos também é super importante para o andamento dos seus projetos e para que sua equipe consiga atingir suas metas de forma mais ágil. Isso porque, ambientes conturbados podem diminuir a produtividade do time e também afetar na entrega de resultados para seus clientes, diminuindo a qualidade e aumentando o tempo de produção.

Além disso, ter um relacionamento estável com seus colegas garante que eles estarão contigo em quaisquer problemas que possam acontecer, buscando uma solução em conjunto. Essa característica é importante também para que os desenvolvedores confiem em você, da mesma forma que você demonstra confiar.

Controle emocional

Ser um líder de produto pode ser extremamente estressante em alguns casos, já que você pode se deparar com o CEO precisando de algo em específico, a equipe de TI precisando de outra com sentido oposto, além dos clientes que podem causar certos desconfortos por conta de suas necessidades.

Gerenciar prazos apertados, metas de receita, demandas de mercado, conflitos de equipe de uma vez só pode ser complicado. Se um líder não consegue manter suas emoções e mantê-las frias sob pressão, pode perder rapidamente a confiança de todos os seus colegas de equipe. Os melhores gerentes de produto sabem como impor as prioridades certas, com urgência, mas sem transmitir uma sensação de pânico ou estresse.

Bom relacionamento com o CEO/CTO

Assim como ter um bom relacionamento com sua equipe de desenvolvimento, o líder de produto precisa estar alinhado com os profissionais como o CEO e o CTO. Isso é importante principalmente em startups que ainda estão começando, visto que em empresas maiores há uma autonomia maior da parte de projetos. 

Se todos os profissionais estiverem profundamente envolvidos, o papel do líder técnico pode desempenhar mais um papel de suporte para concretizar suas ideias ou validar conceitos com os primeiros clientes, ao invés de conduzir suas próprias ideias. Dessa forma, o CEO/CTO consegue ter um braço direito no andamento da empresa em busca da rápida evolução. Assim que a startup for consolidada no mercado, as áreas do negócio começar a ter uma autonomia maior.