Por que empresas internacionais buscam desenvolvedores latino-americanos?

Antes da pandemia de Covid-19, contratar profissionais de tecnologia da América Latina já era um movimento que estava em crescimento em empresas internacionais. Países onde a população economicamente ativa – composta por pessoas que contribuem para o setor produtivo – está em uma constante queda, costumam sofrer com a falta de mão de obra nos mais variados setores do mercado.

Dentre os serviços que exigem uma mão de obra qualificada, o mercado de tecnologia é um dos que mais sofre com a falta de profissionais com conhecimento adequado para trabalhar em projetos, devido a um grande desequilíbrio entre a abundância de oportunidades oferecidas por empresas dos mais variados nichos e a escassez de profissionais, principalmente de talentos que atuam com desenvolvimento de sistemas. 

De acordo com a revista Exame, dados levantados pela empresa de recrutamento Page Group apontam um aumento de 20% na busca por talentos brasileiros até agosto de 2021, quando comparado ao mesmo período em 2020. Isso mostra que o mercado internacional está cada vez mais favorável para pessoas desenvolvedoras que desejam uma experiência de carreira internacional.

Principais motivos para a contratação por empresas internacionais

Sabendo que o mercado internacional está repleto de oportunidades para pessoas desenvolvedoras latino-americanas, principalmente brasileiras, é importante observar os motivos pelos quais este movimento vem acontecendo ao longo dos anos. Isso porque, desta forma, é possível analisar melhor o que as empresas estão buscando ao contratar estes profissionais e se certificar de que as oportunidades estão de acordo com os seus objetivos de carreira.

Abaixo, você confere os principais motivos que levam empresas estrangeiras a contratar talentos de tecnologia brasileiros.

Talentos qualificados 

O primeiro motivo pelo qual outros países estão contratando profissionais de tecnologia da América Latina, dando destaque para talentos do Brasil, Argentina, Panamá e Costa Rica é que estes, em sua grande maioria, são tão qualificados quanto os europeus e norte-americanos.

O fato de que os brasileiros prezam por boas certificações e o constante aprendizado, os mantém praticamente no mesmo patamar de desenvolvedores que trabalham em empresas do Vale do Silício, por exemplo, o que contribui para que as empresas internacionais olhem para nossos talentos com bons olhos.

Apesar de não ser algo exigido no exterior, grande parte dos talentos nacionais possuem graduações em determinadas áreas da tecnologia, como Ciência da Computação, Engenharia de Software, entre várias outras. E, aqueles que não fizeram faculdade nesta área do conhecimento, investiram em cursos e formações técnicas que garantem um excelente currículo, além de ter o domínio do Inglês (principalmente o técnico), o que atrai os o interesse dos recrutadores estrangeiros.

Ascensão do trabalho remoto em empresas nacionais e internacionais

Outro fator que fez com que países norte-americanos e europeus desejem contratar talentos do Brasil é a consolidação do trabalho remoto. Diversas corporações, nacionais e internacionais, vêm adotando modelos como o remote-first e o anywhere office para atuar com times de tecnologia e isso facilita a busca por oportunidades fora do país. Afinal, agora os talentos não precisam sair de onde estão para conquistar o sonho de trabalhar em uma empresa estrangeira.

Para os negócios, do ponto de vista econômico, esta também é uma alternativa muito interessante, já que não precisarão arcar com diversas burocracias e custos para fazer com que o profissional (e até mesmo a sua família) se instale em um país, muitas vezes, completamente desconhecido.

Além disso, outra característica que faz a diferença na hora de empresas gringas buscarem por talentos da América Latina é o fato de fazermos parte do Ocidente. Geralmente, os fusos horários não atrapalham os desenvolvedores remotos internacionais, e a rotina quase não se altera, por isso, os gestores acabam optando por desenvolvedores latinos no lugar de pessoas que pertencem aos países asiáticos, por exemplo.

Confira outros conteúdos sobre carreira internacional

Real desvalorizado

Não é novidade que a moeda brasileira vem sendo cada vez mais desvalorizada em relação ao dólar e outras moedas da Europa, como o euro e aproveitar a alta destas moedas é uma das estratégias utilizadas por empresas internacionais para atrair desenvolvedores brasileiros. 

Isso porque, para quem mora na América Latina, a possibilidade de ser remunerado em dólar significa também um maior poder de compra e, é claro, uma maior valorização do trabalho. Com um emprego onde um talento ganha aproximadamente 8 mil reais, é possível obter um salário de aproximadamente 20 mil em uma empresa estrangeira.

Ao mesmo tempo em que é muito vantajoso para os talentos, que garantem salários extremamente altos, é também para as empresas, que conseguem contratar profissionais de alto nível sem ter que abrir mão de grande parte dos seus orçamentos.

Após este levantamento, podemos dizer que este é, com certeza, um dos melhores momentos para dar início a sua carreira internacional. E tudo pode ser mais simples do que você imagina. Através do ecossistema EZ, você poderá ingressar em startups e scale-ups internacionais com um único processo seletivo e encontrar a oportunidade perfeita para o seu perfil profissional.

O que está esperando? Cadastre-se agora em nossa plataforma e dê o primeiro passo para uma nova fase da sua carreira como pessoa desenvolvedora!

Compartilhar:

Camila
Último artigo
Testes técnicos: será que são mesmo necessários?
Próximo artigo
Cultura remota: dicas para ter um time tech mais engajado