Reality Check e sua importância no alinhamento de expectativas

Agilidade

A cerimônia de Reality Check é mais uma ferramenta interessante que pode ser aplicada na sua equipe de desenvolvimento em busca da alta produtividade e da agilidade nos processos. Elaborada por Henrique A. de Oliveira, a ferramenta consiste em uma reunião entre liderança e time de tecnologia que visa alinhar as expectativas em relação a prazos de entregas e funcionalidades que podem ou não ser desenvolvidas.

Por conta da importância dessa cerimônia no andamento dos projetos, nós produzimos um artigo que traz mais detalhes sobre como funciona essa ferramenta no dia a dia da empresa e como ela pode te ajudar a cumprir os prazos pré-estabelecidos pelo cliente. Confira a seguir.

Qual sua importância?

O Reality Check é uma ferramenta ágil desenvolvida por Henrique A. de Oliveira para verificar o quanto uma entrega ainda é viável no contexto do projeto. A ideia central desta ferramenta é manter o alinhamento, dando visibilidade ao andamento do projeto e alguma previsibilidade quanto à data de entrega.

Em grande parte dos casos, talvez seja mais relevante para um determinado projeto manter as expectativas de data de entrega bem alinhadas do que cumprir um prazo inicialmente forçado para entrega do projeto.

Porém, caso sua equipe de desenvolvimento consiga trabalhar sem prazos, talvez você tenha um ambiente amigável e um ótimo cenário para trabalhar em várias soluções de produtos. Mas, se é fundamental para seu time que prazos sejam pré-estabelecidos, talvez o Reality Check seja útil para você, sua equipe e seus líderes de projetos.

Como funciona a cerimônia de Reality Check?

A cerimônia de Reality Check tem como principal objetivo alinhar expectativas entre os profissionais responsáveis por um produto digital. Por muita das vezes, o líder de uma startup, como o CEO, deixa de acompanhar como anda a parte de desenvolvimento de um projeto por conta que outras prioridades como negócios e marketing podem ocupar bastante seu tempo.

Antes da cerimônia começar, é preciso que toda a liderança e os responsáveis pelo desenvolvimento estejam reunidos em um mesmo ambiente, seja ele físico ou virtual. Dessa forma, a liderança terá ciência de todas as informações que forem passadas no encontro.

Como se trata de um alinhamento de expectativas sobre um projeto, ainda antes do início, é preciso que o mediador da cerimônia faça uma listagem de todas as funcionalidades que estão presentes no backlog e que ainda não foram entregues, facilitando a visão de todos sobre como anda o desenvolvimento do projeto. Além disso, é importante que seja mostrado qual a data limite da entrega a fim de saber se há tempo hábil ou não.

No início da cerimónia de Reality Check, o time de tecnologia explica cada uma das funcionalidades de forma detalhada, apresentando as suas dificuldades e o porquê de ainda não terem sido entregues. Após a explicação e o debate entre os profissionais ali presentes, um mediador faz uma espécie de “votação secreta” entre os desenvolvedores a fim de saber qual a expectativa deles em relação à entrega das funcionalidades no tempo previsto. Em grande parte dos casos, é proposto que o time use notas de 1 a 4 para especificar o quão confortável estão com a produção das features.

Após a exibição das notas, cada dev mostra seus pontos de descontentamento e cabe a toda equipe auxiliar o processo de desenvolvimento, seja reorganizando o backlog, excluindo features ou acrescentando tempo para entrega.

Como utilizar de maneira mais assertiva?

Para que o Reality Check seja feito de uma maneira mais assertiva e que tenha efeito significativo nos projetos desenvolvidos pela sua equipe de tecnologia, algumas práticas tendem a facilitar o trabalho. A primeira delas é mostrar todas as demandas que precisam ser atendidas e não colocar uma pessoa como responsável. Como o Reality Check é uma ferramenta colaborativa, toda a equipe precisa achar soluções para todas as demandas em conjunto.

Além disso, não há a necessidade da cerimônia ser realizada em todo e qualquer projeto desenvolvido pela equipe. Use a ferramenta apenas em casos onde o prazo de entrega está curto e as demandas ainda estão surgindo. Outro ponto importante que pode ser analisado durante o processo é o tempo médio de produção das funcionalidades presentes no backlog. Por exemplo, não há a necessidade de quatro demandas serem concluídas em 15 dias, sendo que o prazo de entrega é de 20 dias.

Realizar o Reality Check com assertividade também pode ajudar sua equipe em momentos delicados como quando um cliente pressiona o time para a entrega do projeto, caso alguma liderança tenha dúvida sobre o comprometimento da equipe e outras situações que visam analisar o time como um todo.

Conclusão

Neste artigo, busquei trazer para vocês as definições dessa ferramenta que se tornou bastante importante e muito usada em equipes de desenvolvimento. Ela ajuda a facilitar a comunicação entre liderança da empresa e time de TI, alinhando as expectativas e ajustando os prazos de entrega a partir de funcionalidades que estejam atrasadas ou adiantadas no backlog. Apesar de ser importante, a execução do Reality Check é bem simples e pode facilmente ser aplicada em qualquer time de tecnologia.

Com informações: PlataformaTec