Testes técnicos: será que são mesmo necessários?

Contratar e reter desenvolvedores tem se tornado uma tarefa ainda mais difícil a cada ano. Para 2022, a demanda é grande e extremamente competitiva, já que diversas empresas internacionais também estão apostando no potencial de talentos latinoamericanos, principalmente brasileiros, para integrar os seus projetos. 

Parece que nunca foi tão complicado preencher uma única vaga. Você encontra o candidato ideal, apresenta a oportunidade, ele se interessa, inicia o processo e, de repente, ele desiste de tudo no meio da seleção. Infelizmente, esta é uma situação comum enfrentada por times de recrutamento e seleção em tecnologia. 

No entanto, assim como em outras áreas da nossa vida, situações negativas podem servir para que possamos melhorar. Neste caso, quando os desenvolvedores abandonam os processos seletivos, é possível utilizar este cenário para identificar algumas falhas nas estratégias de recrutamento e seleção em TI.

E se eu te disser que um dos principais motivos para os seus candidatos desistirem de uma oportunidade são os testes técnicos, ou ao menos a forma como estes são aplicados, você acreditaria? 

Neste conteúdo, convido você a entender mais sobre esta etapa do recrutamento que, mesmo sendo tão importante para as empresas, é repleta de falhas. Então, para entender melhor quando e como realizar testes técnicos da forma correta, continue a leitura!

Testes técnicos

Testes técnicos, também chamados de avaliação técnica, são comuns no mercado de trabalho de tecnologia. Como o próprio nome já sugere, esta etapa nos processos seletivos avalia as habilidades técnicas necessárias para que os profissionais executem suas funções no dia a dia da empresa, como os métodos para solução de problemas. De certa forma, os testes também funcionam como uma forma de comprovar que os talentos possuem os conhecimentos listados nos currículos ou nos perfis do LinkedIn. 

Geralmente, são aplicados depois de fases como a apresentação da proposta da vaga e das entrevistas com os tech recruiters, podendo ser realizados de duas formas: a primeira, através de atividades avaliativas ou a segunda, a partir de entrevistas técnicas

Apesar de os métodos variarem de empresa para empresa, a grande maioria dos times de recrutamento em TI acredita que esta etapa é essencial para acertar nas contratações e garantir que não haverá prejuízos relacionados ao turnover de talentos, posteriormente. No entanto, é a partir deste momento que começam os dilemas e, até mesmo, problemas com os testes técnicos, pois, apesar de muito importantes para as empresas, eles podem não ser agradáveis para os talentos… 

O que os talentos de tecnologia acham dos testes técnicos?

Existem casos de desenvolvedores brasileiros de nível pleno e sênior que chegam a receber mais de dez propostas de vaga por dia. Agora você, recrutador, coloque-se no lugar destes profissionais: imagine-se realizando um teste técnico e, no meio do caminho, perceber que todo o seu esforço está sendo desperdiçado em uma atividade que não avalia nenhuma das habilidades que você utilizará na rotina de trabalho. Repita este processo por mais algumas vezes e você entenderá porque os talentos de tecnologia não gostam de testes técnicos que não testam absolutamente nada!

Para termos dimensão do quanto isso tem afetado a rotina de pessoas desenvolvedoras, perguntamos a 73 pessoas desenvolvedoras se elas já realizaram testes técnicos que não avaliavam as habilidades exigidas na rotina de trabalho. O resultado foi que 55% dos entrevistados já passaram por esta situação por diversas vezes, 23% sempre se deparam com este problema e apenas 10% nunca realizaram testes “sem sentido”.

Entenda que o meu objetivo não é dizer que os testes não funcionam e que devem ser banidos de todos os processos seletivos de TI. Definitivamente, não é isso. Se certificar das habilidades dos talentos é importante para evitar contratações erradas, mas é preciso saber avaliar os talentos da forma correta para que não haja desistências ao longo dos processos seletivos. 

Abaixo, listei algumas das vantagens e desvantagens em aplicar testes técnicos nos seus processos de recrutamento e seleção em TI. Confira!

Vantagens das avaliações técnicas

Quando você aplica um teste técnico da forma correta, consegue avaliar não só as hard skills dos candidatos, mas também algumas soft skills, como comprometimento, qualidade nas entregas, organização e gestão de tempo. Assim, os recrutadores conseguem ter uma noção de como os talentos irão se comportar no dia a dia com o seu time de tecnologia.

Diariamente, equipes de recrutamento lidam com os mais variados perfis profissionais e comportamentais e, no meio de diversos candidatos que sabem se expressar bem nas entrevistas, existem aqueles que têm mais dificuldades. Por isso, com os testes técnicos os recrutadores conseguem avaliar os talentos que possuem um bom desempenho e não descartá-los logo de primeira!

Desvantagens das avaliações técnicas

A primeira desvantagem encontrada nos testes técnicos é que esta etapa acaba por prolongar todo o processo de recrutamento. Afinal, os desenvolvedores possuem outras demandas importantes da rotina profissional que poderão impedir que as avaliações técnicas sejam executadas de maneira ágil.

Já citei anteriormente, mas não custa reforçar: nem sempre os testes avaliam o que deve ser avaliado e isso faz com que diversos candidatos desistam no meio do processo. Assim, você acaba por perder os melhores talentos ou até mesmo contratar profissionais que não possuem fit técnico com a vaga.

Boas práticas para o seu processo seletivo

Agora que você já conhece um outro ponto de vista a respeito dos testes técnicos, é hora de entender melhor o que fazer para aplicar testes técnicos assertivos e que agregam tanto para a empresa que está recrutando, como para o profissional que se candidatou à vaga.

Algumas das boas práticas são:

  • Aplique testes dinâmicos e flexíveis, nos quais os talentos tenham a possibilidade de executar a avaliação nos horários em que estiverem disponíveis para se dedicar integralmente a esta atividade sem que seja algo massante;
  • Tenha certeza de que aquilo que você cobra no teste, é o mesmo tipo de entrega que a empresa espera do profissional na sua rotina de trabalho, conte com a ajuda de profissionais de tecnologia para isso;
  • Não deixe de dar feedbacks para os candidatos ao final desta etapa do processo seletivo, tendo sido aprovado ou não. Este retorno mostra que sua empresa e seu time estão preocupados com cada um dos talentos que participaram da seleção.

Coloque-as em prática e pare de sofrer com a desistência de candidatos por causa dos testes técnicos!

Precisa de ajuda para escalar seu time de tecnologia remoto de maneira eficiente? Saiba que pode contar sempre conosco, basta entrar em contato!

Compartilhar:

Camila
Último artigo
Vaga JavaScript sênior: conheça as oportunidades da EZ
Próximo artigo
Por que empresas internacionais buscam desenvolvedores latino-americanos?