Como estruturar seu time de tecnologia

Entenda mais sobre a estrutura de um time de tecnologia e confira dicas de como estruturar a sua equipe da maneira correta

Estruturar um bom time de tecnologia é um dos maiores desafios quando vamos iniciar um novo produto digital.

É neste momento em que surgem dúvidas sobre quantas pessoas e quais funções dentro do time são necessárias, qual o perfil profissional ideal para atuar no projeto, entre diversas outras.

É fato que, garantir a assertividade nas contratações não é algo simples, principalmente quando se trata de talentos tech. Por isso, nesse artigo vou apresentar alguns pontos que são essenciais no momento de montar uma equipe que dê resultados.

Estruturas de um time de tecnologia

Você sabia que existem diferentes maneiras de estruturar um time de tecnologia? Ao contrário do que muitos pensam, uma equipe de desenvolvimento ágil de software pode ser constituída por perfis profissionais diferentes, de acordo com o que você almeja com o seu produto.

De modo geral, encontramos no mercado tech três estruturas de times de TI, que são: generalista, especialista e híbrida. Abaixo, vou explicar resumidamente cada uma delas.

Equipe generalista

A equipe generalista, como o próprio nome sugere, é composta por profissionais que possuem diversas habilidades relacionadas à tecnologia, mais especificamente ao desenvolvimento de software. Estes talentos atuam em todas as áreas do projeto, e sabem como todos os processos funcionam.

Quando você trabalha com talentos generalistas, pode remanejá-los a diversos setores do projeto, já que eles saberão lidar com todos eles com competência. No entanto, nem sempre o conhecimento destes profissionais será o suficiente para dar conta de todos os detalhes do software, principalmente quando estamos falando de aplicações extremamente complexas.

Equipe especialista

Uma equipe especialista é exatamente o oposto da anterior. Neste caso, quando falamos de um time com profissionais especialistas, estamos falando de talentos que possuem habilidades muito específicas sobre uma única parte do projeto.

Enquanto os profissionais generalistas podem atuar nas mais diversas responsabilidades, os especialistas exercem uma única função. No entanto, quando você contrata um bom profissional especialista, tem a certeza de que ele dará conta de exercer o seu trabalho com a máxima qualidade em um curto período de tempo.

Equipe híbrida 

Você já deve imaginar o que significa contar com uma equipe híbrida. E, se está pensando que ela é capaz de unir profissionais generalistas e especialistas em um único lugar, acertou na mosca!

Um time de tecnologia considerado híbrido vai unir, tanto profissionais generalistas, como especialistas, garantindo que os projetos sejam desenvolvidos sem deixar nenhuma lacuna.

No entanto, apesar de se mostrar como a estrutura mais eficaz para uma equipe tech, pode fazer com que os líderes tenham um pouco mais de dificuldade de conduzir uma equipe tão diversa.

Perfis existentes dentro de uma equipe de tecnologia

Dentro da área de tecnologia temos vários papeis, e entender o que cada um desses perfis faz é primordial para um bom desempenho do projeto.

Vou escrever uma lista desses profissionais e descrever resumidamente sua função dentro da equipe.

Lembrando que cada momento da startup precisa de um determinado conjunto de profissionais, a nossa intenção aqui é apenas mostrar cada um deles para que você possa decidir quais você precisa.

CTO

É o diretor de tecnologia da sua empresa, ele é o responsável por toda área técnica do negócio.

É dele a responsabilidade de contratar o time para a área, controlar qualidade de código e débito técnico, estar sempre antenado em novas tecnologias e saber como tirar o melhor de cada pessoa dentro do time.

Como estamos falando de produtos digitais, tecnologia é uma das principais (se não a principal) áreas do negócio, dessa maneira é importante que esse profissional seja um dos sócios do negócio. Dessa maneira você consegue garantir seu engajamento.

PM

Ele é responsável por guiar o seu produto, é ele quem dá o direcionamento para onde o time deve seguir.

Quais funcionalidades serão lançadas e as necessidades do cliente estão na ponta da língua desse profissional.

Essa pessoa precisa ter uma noção growth hacking, definição de roadmap, processos, metodologias ágeis como SCRUM e KANBAN, e métricas de produtos.

Desenvolvedor front-end

O desenvolvedor front-end é o responsável por dar vida aos layout e interfaces que o designer (falaremos dele mais tarde) cria.

Ele trabalha na parte da “frente” de uma aplicação, a que nós usuários interagimos no dia a dia. Ou seja, ele cria os botões, telas, tabelas que os usuários utilizam no dia a dia.

Na grande maioria das vezes, esse profissional trabalha com a linguagem Javascript e entre suas preocupações estão acessibilidade, UX, perfomance no navegador, responsividade, integração com o back-end e muitas outras.

Desenvolvedor back-end

O desenvolvedor back-end é o responsável pela parte da nossa aplicação que roda no servidor. Dessa maneira, acaba ficando invisível para o usuário o que ocorre desse lado do software.

É onde a comunicação com o banco de dados, integrações serviços de terceiros e regras de negócios de nosso sistema são realizados.

Quando se trata de desenvolvimento back-end, as linguagens utilizadas podem ser JAVA, GO, Javascript, Elixir, Pyhton, C# entre outras.

Desenvolvedor full stack

O desenvolvedor full stack, consegue atuar em várias partes dentro do nosso projeto, o mesmo consegue desenvolvedor tanto back-end como o front-end e dependendo da experiencia desse desenvolvedor ele até consegue trabalhar com devops.

Esse tipo de profissional é essencial para o início de uma startup, pois diminui a quantidade de recursos necessários para fazer um projeto rodar de ponta a ponta.

QA

Quality Assurance como o próprio nome diz, é a pessoa que garante a qualidade de nossa aplicação. Ela é responsável por fazer os testes do nosso produto, sejam eles automatizados ou não.

O objetivo desse profissional é diminuir a quantidade de bugs que chegam até o cliente final, aumentando assim a qualidade do produto como um todo. Além disso, este profissional também deve garantir que as entregas correspondem às expectativas e exigências dos clientes.

UX/UI Designer

É a pessoa responsável por desenhar as telas do nosso produto, sempre visando a usabilidade, acessibilidade e experiência do usuário, garantindo que haverá uma boa interação entre o software e a pessoa que o utiliza.

Ainda no setor de Design, quando se trata de tecnologia, podemos dividir suas habilidades e funções em dois perfis, que são o UI e UX Designer.

  • UI Designer: Também chamado de designer de interface do usuáario, este profissional é o responsável por trabalhar e entender como a aplicação se comportará visualmente para o usuário. Isso significa que é ele quem desenha de fato as telas do aplicativo pensando, principalmente, na estética.
  • UX Designer: Este é o profissional responsável pela experiência do usuário como um todo. Além da interface, ele deve pensar em aspectos como acessibilidade de facilidade do uso de seu produto.

Para ilustrar melhor, podemos pegar a imagem abaixo como exemplo e comparar o significado entre interface e experiência do usuário. Na primeira embalagem de ketchup, observamos aspectos que tornam a interface (o design do qual nos referimos no dia a dia) mais apresentável. No entanto, quando pensamos na experiência do usuário desta marca de ketchup, logo compreendemos o sentido do segundo modelo de embalagem.

Imagem relacionada
Diferença entre UI e UX

Uma tendência do mercado é a busca por um profissional que consiga unir estas duas características, dessa maneira ele consegue entregar tanto uma aplicação bonita quanto uma ótima experiência de usuário.

DevOps

DevOps, de maneira simplória, é a junção de práticas de desenvolvimento e operação (daí o nome Dev e Ops).

O trabalho do profissional que atua nesta área é automatizar o máximo de funções de infraestrutura, como publicações em servidores, segurança, backup de banco de dados entre outros.

Um bom profissional sabe também trabalhar com as “nuvens” mais famosas como AWS ou Google Cloud.

Resultado de imagem para devops o que faz

Dicas para montar um bom time de tecnologia

Agora que você já conhece um pouco mais sobre como um time de tecnologia pode ser estruturado e quais profissionais podem fazer parte da sua equipe, chegou a hora de colocar tudo em prática.

Mas não precisa se desesperar! Preparamos algumas dicas especiais que farão toda a diferença na hora de escalar seu time e tornar tudo mais fácil. Confira!

Leve em consideração o contexto do produto e o momento do negócio

Quando surge a necessidade de ter que montar um novo time de tecnologia, seja para um novo produto digital ou lançamento de novas funcionalidades de um produto já existente, sempre tenha claro quais objetivos esse time precisa atingir.

Assim conseguimos saber exatamente quais os perfis iremos ter que procurar internamente ou externamente.

Monte um time de tecnologia multidisciplinar

Um time de tecnologia multidisciplinar é uma junção de pessoas de diferentes especialidades, que tem como objetivo a entrega de um resultado.

Com a diversidade, você consegue ter visões diferentes sobre um mesmo problema, dessa maneira a solução é bem mais criativa.

É importante que o objetivo seja claro para todos os integrantes da equipe, assim você consegue manter todos no mesmo barco e navegando na mesma direção.

Seja o mais transparente possível

É muito importante que as pessoas do time conheçam exatamente quais são suas responsabilidades e o que ela vai executar no dia a dia.

É muito chato a gente ser contratado para trabalhar em um processo X e acabar trabalhando com processo Y. Claro que essas situações podem acontecer, mas é fundamental que você como gestor converse com essa pessoa explique a situação.

Deixe claro aos membros que todos tem voz dentro do time, respeite as opniões e sugestões dadas por todos, saber que sua opinião será ouvida e analisada é muito bom.

Isso faz com que os membros da equipe tenham cada vez mais o espirito de pertencimento do produto, elas começam a se sentirem donas da empresa e isso trás muito resultado para o seu negócio.

Filtre pela cultura

Na maioria dos desligamentos das empresas o grande vilão é o fit cultural, isso porque apesar de muito importante é frequentemente ignorado.

Quando for contratar, certifique de fazer uma entrevista para garantir que o novo colaborador tenha todos os aspectos culturais que você preza dentro da empresa.

Toda empresa tem uma cultura definida, pois ela é o reflexo dos sócios e dos primeiros funcionários.

Nada pior com uma empresa que não emprega essa cultura diariamente, pois assim, você acaba criando uma cultura mediana.

Você precisa de pessoas que vistam a camisa, e para isso, eles precisam se sentir “em casa”.

Agora que você sabe como montar seu time de tecnologia está preparado para começar o seu produto digital? Qualquer dúvida deixe nos comentários.

Wellington
Último artigo
Internacionalização com React Native
Próximo artigo
Aplicativo híbrido: O que é e porque você deveria conhecer