Trabalhar em Startups: como é a atuar em empresas menores

Quem ainda é novo no mercado de trabalho, geralmente tem o desejo de atuar em grandes corporações, principalmente porque acreditamos que um cargo em uma empresa reconhecida, nacional e internacionalmente, traz um grande peso para nossos currículos e nos faz ficar bem na fita com os parentes na ceia de Natal. Assim como as festas de fim de ano, esta ideia já ficou para trás e deu espaço para novos planejamentos. 

E isso não vale somente para talentos de tecnologia recém chegados no mercado, mas também para aqueles que já possuem um alto nível de experiência e ainda não estão completamente satisfeitos com os caminhos que as suas carreiras têm trilhado. Mas, pode ser que o sucesso que você tanto busca esteja logo abaixo dos seus olhos: em uma startup.

Se você nunca cogitou a ideia de trabalhar em startups e outros negócios com menos de 100 funcionários, ou até já atuou em projetos menores, mas não teve uma experiência que atingiu as suas expectativas e, por isso, passou a sonhar com o dia em que você estivesse na equipe de uma multinacional, chegou a hora de olhar as pequenas e médias com outros olhos. 

Continue a leitura para saber mais!

O que é uma startup?

Antes de conhecer as vantagens de se trabalhar em startups, precisamos entender seu conceito. Dessa forma, tudo fará mais sentido e você poderá escolher com certeza qual caminho seguir, seja em uma pequena empresa ou não. 

De acordo com a Associação Brasileira de Startups, o conceito de startups consiste em empresas em fase inicial que desenvolvem, através de uma equipe multidisciplinar, produtos ou serviços inovadores, geralmente baseados em tecnologias e com potencial de rápido crescimento, devido a um modelo de negócio de fácil replicação. 

Um dos grandes diferenciais das startups é que estas conseguem escalar os seus projetos de forma rápida e sem a necessidade de aumentar o capital humano e financeiro. Dessa forma, seus produtos e serviços são utilizados por uma grande quantidade de pessoas em um período de tempo relativamente curto. 

É importante ressaltar que as startups são, sim, consideradas empresas. A grande diferença destes negócios encontra-se em um dos principais objetivos de uma startup: fazer com que tudo cresça de forma rápida, mesmo com altas chances de erro, o chamado crescimento exponencial, que não acontece com empresas tradicionais, das quais preferem adotar um ritmo crescimento linear.

Além disso, uma outra diferença marcante destas empresas é a cultura organizacional. Enquanto as grandes corporações possuem uma cultura mais tradicional, e até mesmo fechada, implementando mudanças sem alterar as estruturas padrões, o ambiente de inovação das startups permite que você encontre um ambiente muito mais descontraído e aberto à mudanças. Uma verdadeira revolução. 

O que os talentos encontram ao trabalhar em startups

Agora que você já sabe mais sobre a ideia de startup, é o momento de analisar as diferenças entre as culturas organizacionais de empresas tradicionais de grande porte e startups e pequenas empresas. Assim, você entenderá melhor quais oportunidades estão mais alinhadas com o seu perfil profissional e objetivos de carreira.

Veja abaixo as principais diferenças entre trabalhar em startups e grandes empresas!

Processos seletivos mais rápidos

Com a altíssima concorrência por vagas em empresas de grande porte, os times de recrutamento e seleção precisam elaborar processos seletivos que filtrem os candidatos de uma forma justa e assertiva, o que resulta em seleções com infinitas etapas, que acabam sendo cansativas para os talentos.

Em startups os processos seletivos são mais enxutos, já que a demanda por funcionários é bem menor, assim como a busca por ocupar estas vagas. Por isso, para quem deseja fugir da ansiedade de passar por diversos testes para ingressar em boas oportunidades, aplicar para vagas em pequenas empresas é uma ótima saída. 

Um exemplo disso é o processo seletivo da EZ.devs, que consiste em apenas duas etapas: a entrevista com um dos nossos tech recruiters e o teste técnico. Assim que você é aprovado nestas duas etapas, passa a fazer parte do nosso ecossistema e acessa oportunidades incríveis em startups que estão transformando realidades. 

Menos burocracias

Assim como os processos seletivos, as burocracias são muito menores em pequenas e médias empresas justamente por possuírem um sistema de organização menos complexo em relação às multinacionais, por exemplo. 

Isso faz com que seja mais fácil tomar decisões e desenvolver soluções de forma mais ágil, o que garante bons resultados em um período de tempo mais curto. No entanto, é comum que estas empresas tenham que mudar as estratégias no meio do caminho e pode exigir um pouco mais dos talentos, o que não deve ser um problema para aqueles que possuem um perfil adepto à desafios (que estão de acordo com o seu plano de carreira, é claro.

Ambiente descontraído e autônomo 

Uma das características mais exaltadas nas startups são os ambientes descontraídos e a autonomia que os talentos têm para executar o seu trabalho. Existem grandes corporações que também são um tanto quanto flexíveis, porém, não é algo tão comum de se ver, geralmente a rotina é muito mais formal e não permite grandes mudanças. 

Quando você decide fazer parte de uma startup, se depara com uma cultura que prega pelo que conhecemos como “atitude de dono”. A responsabilidade de execução das tarefas do dia a dia e de gerenciar o tempo dedicado ao profissional estão totalmente nas mãos dos talentos, ninguém controla como você executa o seu trabalho. Afinal, se todos estão com o foco concentrado em atingir os melhores resultados, não há porque se preocupar com o horário em que cada profissional “bate seu ponto”. 

Esta liberdade de trabalho e flexibilidade de horários tem sido muito buscada por profissionais da tecnologia, principalmente nos últimos dois anos, quando o trabalho remoto ganhou uma grande quantidade de adeptos. Pessoas que desejam atuar de qualquer lugar, trabalhar enquanto viajam, ficar mais tempo com os filhos e até mesmo buscar oportunidades internacionais, não pensam duas vezes em fazer parte de uma startup que oferece esta autonomia.

Agora que você já tem uma nova visão sobre atuar profissionalmente com tecnologia em startups, o que acha de encontrar oportunidades alinhadas com o seu perfil profissional? Basta você se cadastrar na nossa página de talentos e virar a chave da sua carreira

Camila
Último artigo
Certificações em TI que todo programador deve ter em 2022
Próximo artigo
Mulheres na TI #1: Como é ser uma desenvolvedora no Brasil?