Pare agora! Você está errando ao contratar desenvolvedores

É exatamente isso, você não leu nada absurdo. O motivo pelo qual as empresas não conseguem atrair e contratar desenvolvedores é porque os seus processos de seleção contém erros que podem ser (e na maioria das vezes são) fatais na hora de encontrar bons talentos para escalar um time de tecnologia de alta performance.

As pessoas, também conhecidas como talentos, sejam de tecnologia ou não, são a principal força motriz de qualquer negócio que deseja atingir o sucesso. E, quando se busca alcançar este lugar através da inovação, é preciso ser cirúrgico e investir onde tudo começa: a tecnologia. Mas, você já deve imaginar que não é só a sua equipe que pensa assim.

A busca por desenvolvedores e demais profissionais da TI cresceu exponencialmente, e ainda segue em expansão, fazendo com que se tenham muito mais demandas do que mão de obra qualificada para superá-las. Desse modo, com uma gama gigantesca de empresas competindo pelo mesmo desenvolvedor, acertar nas contratações é vital para conseguir manter os projetos de pé.

Se está encontrando dificuldades em atrair e reter os candidatos exatos para os times de tecnologia do seu negócio e ainda não identificou o que pode não estar funcionando no seu processo, neste conteúdo você  confere quais são os 5 principais erros cometidos por quem deseja contratar desenvolvedores!

1. Processo seletivo lento e defasado

Com a alta demanda por pessoas desenvolvedoras pelas empresas, estes talentos passaram a controlar o mercado de tecnologia, mesmo que de maneira indireta, já que grande parte dos talentos já encontraram boas oportunidades de carreira e não estão buscando ativamente por um novo desafio. 

Para que as empresas consigam atrair a atenção dos candidatos e instigá-los a fazer parte dos seus times, precisam dar atenção a um dos momentos mais importantes do profissional na sua empresa: o processo seletivo. 

Profissionais do desenvolvimento de software que estão ativas no mercado mostram cada vez mais que as seleções precisam ir além de um conjunto de entrevistas ou uma jornada com fases intermináveis, muitas vezes sem sentido. Afinal, se o seu time de tech recruiters agir desta forma, terá que lidar com uma grande quantidade de no-shows e desistências ao longo das etapas.

Em resumo, o primeiro erro que você está cometendo ao contratar desenvolvedores é não investir em um processo seletivo ágil e atual, que avalia a competência dos talentos a partir daquilo que será cobrado dele quando passar a fazer parte da sua equipe. 

Um exemplo de falha no processo seletivo de tecnologia pode ser encontrado na aplicação de testes técnicos que não avaliam os conhecimentos essenciais para a rotina do tech talent na equipe e cobram itens desnecessários. Nos últimos tempos, isso tem sido um fator limitante para que os candidatos decidam continuar participando da seleção. 

Além dos testes, que prolongam muito a duração do processo de avaliação dos talentos, existem outros indicadores de processos seletivos tech defasados, como:

  • Má descrição da vaga ou da oportunidade oferecida (excesso ou falta de informações)*;
  • Falta de conhecimento técnico em tecnologia por parte dos recrutadores;
  • Excesso de entrevistas e fases avaliativas;

Prolongar este período de avaliação em um mercado completamente escasso pode ser fatal para que os desenvolvedores desistam da sua empresa e aceitem a proposta do seu concorrente! 😕

*Lembre-se que é nesta etapa que o talento tem as primeiras impressões sobre o seu negócio. Portanto, construa tudo da maneira correta.

2. Má avaliação do fit cultural

A cultura organizacional é a alma de toda e qualquer empresa e os colaboradores precisam acreditar no propósito do seu negócio, e compartilhar valores com a corporação e o principal motivo para isso é que, sem este alinhamento, torna-se muito mais difícil construir um ambiente de trabalho saudável. 

Raramente um profissional de tecnologia permanecerá por muito tempo em um local que não condiz com os seus valores pessoais e profissionais, ou que não atende às suas expectativas e o resultado disso é um alto índice de rotatividade de talentos que podem ser excepcionais no conhecimento técnico.

Infelizmente, muitos gestores ainda não se deram conta que uma boa avaliação de fit cultural é tão importante quanto testar as habilidades em tecnologia dos candidatos e, por isso, não conseguem contratar os desenvolvedores exatos para o time. 

3. Contratar desenvolvedores com pressa 

Sabemos o quanto é essencial que startups escalem os seus produtos com velocidade e qualidade e que esta é uma balança que, por vezes, fica desequilibrada. Neste caso, o ditado popular “A pressa é inimiga da perfeição” costuma cair como uma luva para o setor de tecnologia. 

Isso porque, quando você tem mão de obra qualificada suficiente para trabalhar nos projetos, mas precisa de agilidade no desenvolvimento para finalizar um projeto e lançá-lo no mercado o mais rápido possível, os débitos técnicos podem aparecer no meio do caminho. E, quando você não tem profissionais o suficiente para dar vazão às demandas, tem pressa de encontrar talentos e pode se precipitar e realizar contratações erradas. O saldo disso, geralmente, é um alto turnover, prejuízos ao financeiro e projetos atrasados

Quando o assunto é trazer mais pessoas para as equipes de TI, é preciso tomar muito cuidado para que os candidatos não sejam admitidos porque você está desesperado por desenvolvedores, mas sim porque eles são realmente os perfis ideais para o seu negócio. 

Mas, cuidado! Tenha em mente que contratar sem pressa não significa que você deve ter um processo gigantesco. Até porque, se isso acontecer, entramos em contradição com o primeiro item desta lista, não é mesmo?! Aqui, a chave para o sucesso é unir agilidade e assertividade em um processo seletivo enxuto, porém, completo.

4. Tech talents não querem se estressar com você

Todos nós, sejamos da tecnologia ou não, sabemos o quanto entrevistas de emprego, testes técnicos e tudo aquilo que envolve o universo dos processos seletivos são desgastantes. Acredite, seus tech recruiters estão exaustos, mas os candidatos também estão. 

Por vezes, a atmosfera do recrutamento e seleção parece cruel, estressante e competitiva para quem deseja ser aceito em uma nova oportunidade. O fato é que, muitos profissionais de fora do setor de TI se encontram sem saída e precisam se sujeitar a este desconforto, principalmente com a alta taxa de desemprego no Brasil atualmente. No entanto, com talentos de tecnologia as coisas funcionam de outra forma…

Lembra que eu te disse alguns parágrafos atrás que, devido à escassez, são os tech talents que mandam no mercado? Pois é, processos seletivos estressantes, onde a atmosfera é de uma constante competição também repelem os candidatos. 

Para explicar melhor, podemos dizer que, quando você e seus recrutadores desenvolvem um processo extremamente rígido, criando um cenário de disputa entre a empresa e os candidatos a fim de se certificar que eles são realmente bons no que fazem, os profissionais se afastam em uma fração de segundos. 

Isso porque, esta situação não faz o menor sentido, já que ambos possuem interesses em comum: você quer o desenvolvedor no seu time e o desenvolvedor quer trabalhar na sua empresa. Pode ter certeza que os talentos percebem isso, acendem um alerta vermelho e desistem da sua oportunidade para aceitar outra em um ambiente que demonstrou acolhimento e parceria.

5. Escolher os parceiros errados

Startups que desejam terceirizar a aquisição de talentos para os seus times precisam pensar, estudar e analisar muito bem qual o serviço mais adequado às necessidades da sua empresa.

Nem sempre, optar pelo outsourcing, por exemplo, é a melhor escolha, apesar de suas diversas vantagens. Terceirizar está longe de ser um processo fácil e entender qual é o momento certo para buscar por estes parceiros é essencial para evitar que você erre não somente nas contratações, mas também no futuro do seu projeto. 

Antes de tomar qualquer decisão, converse e ouça seus colaboradores e seus times, identifique quais são as necessidades do projeto, o quanto poderão investir em novos talentos e defina qual o perfil ideal de parceiro que sua empresa busca. Lembre-se, que dentro da categoria “terceirização” existem diversos processos diferentes, que vão de acordo com os objetivos de cada time.

Conseguiu identificar qual ou quais têm sido os seus erros na hora de encontrar os talentos ideais para o seu time? Agora é hora de traçar um caminho sólido para contratar bons desenvolvedores. Mas, não se preocupe! Preparamos um passo a passo para te ajudar neste momento tão importante e para conferi-lo, basta clicar aqui.

Camila
Último artigo
Tech lead: será mesmo que este cargo é para você?
Próximo artigo
5 dicas para economizar na contratação de desenvolvedores